Talvez 2016 tenha sido um ano em que mais foram vistos protestos na ultima década. Em diversos países, milhares de pessoas saíram nas ruas para protestar contra a corrupção, a violência, direitos e a politica.

Na música não foi diferente. #cantoras como MC Carol, Elza Soares, Beyoncé, Solange Knowles e Karol Conka deixaram suas marcas com letras fortes e marcantes. Confira:

1 - MC Carol

A MC Carol lançou, no mês de julho, a musica Delação Premiada. Na letra, existe crítica social. Ela bota o dedo na ferida denunciando o tratamento injusto de policiais, quando aplicado em políticos corruptos e jovens negros da periferia.

Publicidade
Publicidade

2 - Elza Soares

O disco A Mulher do Fim do Mundo, de Elza Soares, foi eleito um dos dez melhores do ano pelo New York Times. Neste disco, Elza fala sobre mulher, violência, abuso, diversidade sexual e muito mais. É impossível destacar apenas uma musica deste álbum, já que todas as letras transmitem mensagens fortes.

3 - Beyoncé

Em 2016, Beyoncé lançou “Lemonade”, disco que apresenta empoderamento, fortes críticas sociais, como no videoclipe de “Formation”, que reforça o discurso do #BlackLivesMatter e a mostra de forma mais madura no nível artístico. Neste CD a faixa “Freedom" fala sobre a liberdade, suas consequências e a constante busca por ser quem realmente é, em meio à luta diária contra preconceitos. Definitivamente nesse disco você vai encontrar inúmeras musicas com letras fortes.

Publicidade

4 - Solange Knowles

Solange Knowles lançou seu terceiro álbum em setembro, com canções como F.U.B.U. e Don’t Touch My Hair. O álbum foi considerado o mais negro no ano. Nas letras, a cantora faz reflexões sobre o significado de ser negra nos dias de hoje. Com esse novo álbum Solange também mostra como é tão boa quanto sua irmã Beyoncé

5 - MC Carol e Karol Conka

Figuras femininas fortes no funk e no rap brasileiro, Mc Carol e Karol Conka fizeram parceria para falar sobre feminismo, denunciar a violência contra a mulher, a opressão e falar de representatividade. 100% feminista foi lançada em outubro, no mesmo álbum em que MC Carol lançou Delação Premiada.

#Protesto