Susan Morrow (Amy Adams, de Batman vs Superman: A Origem da Justiça) é uma mulher que vive com seu segundo marido. Um dia, ela recebe um manuscrito pelo correio: um livro escrito por Edward Sheffield (Jake Gyllenhaal), seu ex-marido, cujo sonho de se tornar escritor nunca se concretizou por falta de talento. Ele pede a ela que leia o livro, cujo título é Animais Noturnos. Susan aceita e, conforme vai lendo, reconhece na história fictícia muito de si mesma e de seu relacionamento com Edward.

Essa é uma história de vingança. Fala sobre paixão, convívio, separação e ressentimento que ficou. Austin Wright era especialista no tema, e conseguia enxergar a fundo os relacionamentos entre homem e mulher, com todas as agruras que eles podem vir a ter.

Publicidade
Publicidade

Então transformava suas observações em histórias, sempre com uma veia irônica. O escritor, falecido em 2003, era muito admirado nos Estados Unidos.

Em Animais Noturnos, Tom Ford adapta a história de Susan e Edward para as telas. Toda adaptação sempre mexe com a trama original; a questão é em que grau será preservado o caráter primeiro da obra. Ford alterou o perfil dos protagonistas e, com isso, alterou também o enfoque pretendido por Wright.

Não que Animais Noturnos não fale sobre um relacionamento terminado, que deixou muito rancor para trás; essa é, sim, a premissa do #Filme. Mas muitas das questões de Susan ficam perdidas nessa adaptação, que inclui também situações inexistentes no livro. Embora importantes para o entendimento dos protagonistas, são todas situações clichês de filmes sobre relacionamentos problemáticos.

Publicidade

E o diretor confere ao personagem de Edward, primeiro marido de Susan, mais importância do que ele, de fato, teve para Wright - cujos personagens principais eram Susan e Tony, o protagonista fictício criado por Edward, espécie de alter ego de Edward e da própria Susan, simbolismo do relacionamento conturbado que eles tiveram. E vingança perfeita de um ex-marido rancoroso trocado por outro homem.

São duas histórias paralelas, a vida real de Susan e a escrita por Edward. Mas é a nível psicológico que se passa a verdadeira trama, aonde os ressentimentos e os desejos que resultaram em mágoas e frustrações vêm à tona - bem como a violência advinda deles. Ficou melhor no livro.

Estreia dia 29 de dezembro. #Entretenimento #Cinema