O famoso dramaturgo e escritor inglês William Shakespeare disse em um dado momento de sua vida, que “o homem que não tem a #Música dentro de si e que não se emociona com um concerto de doces acordes é capaz de traições, de conjuras e de rapinas”, o que é a mais pura verdade independente de época. Por mais incrível que seja, parece que a personalidade em questão escreveu esta frase para os irmãos Tsahouridis de origem grega ou melhor dizendo, descendentes diretos dos gregos Pônticos. E por falar em irmãos Tsahouridis, depois de conhecer um pouco melhor as músicas e canções de ambos, a maioria das pessoas demonstra o desejo de assistir um show para lá de especial da dupla.

Publicidade
Publicidade

E é exatamente o que os Tsahouridis promoveram nos dias 2 e 3 de dezembro de 2016, no show intitulado “Corpo e Alma”, os quais foram acompanhados por uma orquestra denominada de seis peças pelas cidades australianas de Adelaide e Sydney, sendo essa última a que detém a maior colônia grega do mundo fora do seu país de origem, maior até do que as grandes comunidades de gregos existentes nos Estados Unidos.

Ao se ter a oportunidade de assistir o show, a plateia pode se deliciar com o talento de Mathaios e Konstantinos Tsahouridis, considerados respectivamente o melhor músico da famosa lira pôntica mundialmente e o outro um renomado tenor.

Entretanto, o que mais motivou e chamou a atenção de todos é que a renda obtida com os shows será doada para pessoas que estão em situações de dificuldade na própria Grécia, que atravessa a sua pior crise econômica desde a 2ª #Guerra Mundial com a enorme dívida pública e os credores norte-americanos e europeus impondo severas reformas econômicas ao país helênico e sua população valiosa.

Publicidade

A instituição que será responsável por receber o dinheiro e repassa-lo às instituições de caridade da Grécia é a “The Hellenic Initiative Australia” ou algo como iniciativa Helênica Australiana.

Se você não pode assistir o show deles, confira o tour de “Corpo e Alma”, onde a lira pôntica característica parece falar, adquirindo vida própria.

A título de curiosidade os gregos Pônticos foram assassinados em massa pelo Império Otomano Turco na ex-colônicas gregas da Ásia Menor, mais especificamente localizadas no nordeste da Anatólia, principalmente na região do Ponto (daí o nome Pôntico), situada às margens do Mar Negro. A língua grega pôntica difere bastante do grego moderno e há mais um aspecto curioso com esse povo, uma vez que normalmente se reconhece um grego Pôntico pelo sobrenome do mesmo, isto é, todos os nomes familiares que terminam em adis ou idis dizem respeito aos gregos Pônticos, como por exemplo, Goniadis, Moussiadis, Anastassiadis, Filidis, Pasxalidis, Moulaidis.

Milhares de gregos Pônticos foram dizimados pela maldade política e militar da Turquia; todavia, a sua arte, a sua cultura musical e a sensibilidade de uma nação não conseguiram ser apagadas. Vida longa aos gregos Pônticos e sua singularidade. #Europa