A 4ª Mostra Internacional de Teatro de São Paulo (MITsp) anunciou, nesta segunda-feira (6), a sua programação completa. O evento durará oito dias, entre 14 e 21 de março, com a direção artística de Antônio Araújo e direção de produção de Guilherme Marques.

Ao todo, serão dez espetáculos de seis países diferentes. A mostra ainda trará seminários, debates e workshops aos interessados. O MITsp deste ano terá três eixos: o protagonismo negro, o teatro documentário e linguagens híbridas.

A abertura será feita no Theatro Municipal de São Paulo pela peça belga "Avante, Marche!", no dia 14. Criada e dirigida por Alain Platel e Frank Van Laecke, e composição de Steven Prengels, o espetáculo faz a fusão entre concerto, dança, teatro e performance.

Publicidade
Publicidade

Com quatro atores e sete músicos, a montagem terá acompanhamento de 18 instrumentistas brasileiros, sob a direção do maestro Carlos Moreno.

Entre as outras peças estão "Tão Pouco Tempo", "Revolução dos Pixels" e "Cavalgando Nuvens", todas do Líbano; "Black Off" da África do Sul, que contará com a direção e a atuação de Ntando Cele; "Por que o Sr. R Enlouqueceu", peça alemã com Susanne Kennedy na direção; e "Mateluna" do Chile.

A representação brasileira estará por conta de "Para que o Céu não Caia", com a coreografia de Lia Rodrigues; a peça dirigida por Eugênio Lima e dramaturgia de Claudia Schapira, “A Missão em Fragmentos: 12 Cenas de Descolonização em Legítima Defesa”; e, por último, o espetáculo "Branco – O Cheiro do Lírio e do Formol", de Alexandre Del Farra.

As vendas online acontecem a partir do dia 16 deste mês no próprio site da MITsp e no dia 17 nas bilheterias.

Publicidade

Unidades do Sesc e outros espaços, junto com o Theatro Municipal, serão os palcos para os espetáculos.

Mais enxuto

Em entrevista ao jornal O Globo, Antônio Araújo contou que a realização teve mais esforços da equipe de produção. Isso foi em razão dos poucos patrocinadores do evento, que ou deixaram de investir na mostra ou destinaram verbas menores.

"Até novembro nós não sabíamos se iríamos ou não realizar a mostra em #2017. Chegamos a pensar em cancelar esta edição e retorna apenas em 2018, mas eu e o Guilherme nos reunimos e decidimos seguir", disse Araújo. "No fim das contas, apesar de todas as dificuldades financeiras, conseguimos estruturar uma programação consistente, manter o formato da MIT e, em termos de números, só estamos com um espetáculo a menos que em 2016", completou. #Mostra Internacional de Teatro de São Paulo #Cultura