#David Bowie deixou o planeta Terra no dia 10 de janeiro de 2016, exatamente dois dias após seu aniversário e lançamento de seu último álbum de estúdio, Blackstar (2016). Nesta sexta-feira, 10 de fevereiro, a gravadora Sony anunciou um presente para os fãs do cantor, o lançamento do EP #No Plan em CD e em edição especial em vinil branco numerado que acompanha uma litografia assinada por Jonathan Barnbrook, designer responsável pela capa de Blackstar.

O EP de David #Bowie contém três faixas inéditas que foram divulgadas apenas na versão digital e no The Lazarus Cast Album (2016). No dia 8 de janeiro, para celebrar o aniversário de Bowie foi divulgado oficialmente na internet o clipe No Plan, dirigido por Tom Hingston, e que já acumula mais de dois milhões de visualizações no YouTube.

Publicidade
Publicidade

A música-título do vídeo é uma balada melancólica semelhante às encontradas nos dois últimos álbuns de estúdio de Bowie, The Next Day (2013) e Blackstar, além dela também estão presentes no EP as canções Lazarus e Killing a Little Time. A chegada do CD No Plan às lojas está prevista para 21 de abril, juntamente com a versão standard do vinil, já a edição especial em branco estará disponível a partir de 26 de maio.

Inéditos de David Bowie

A morte repentina de David Bowie, dois dias após seu aniversário e lançamento do disco Blackstar, que recebeu críticas positivas ao redor do globo, surpreendeu a todos os fãs e admiradores do cantor, deixando-os ansiosos por materiais inéditos, já que Bowie havia passado os últimos anos em estúdio. O resultado foi o disco The Lazarus Cast Album, com canções que Bowie havia composto para a peça teatral Lazarus, e neste início de 2017 o EP No Plan promete suprir a necessidade de brilho de um mundo que perdeu sua maior estrela.

Publicidade

Conheça a carreira de David Bowie

Tony Visconti, colaborador de longa data de David Bowie ,escreveu em sua página do Facebook no aniversário de um ano da morte do cantor: “Ele foi uma lenda em seu tempo e será uma lenda até o fim dos tempos”. A declaração de Visconti não é infundada.

Sempre a frente de seu tempo, Bowie revolucionou o mercado e estética da música no início dos anos 70 com a criação do personagem Ziggy Stardust, que deu voz à música britânica que à época vivia um hiato desde os Beatles. Já na segunda metade da década, Bowie renasceu como o Thin White Duke, trazendo canções com sonoridades experimentais fruto da influência de Lou Reed, Iggy Pop e de bandas como Cluster, Neu! e Can, exponenciais do krautrock, movimento de música experimental que teve seu auge na Alemanha dos anos 70.

Com a chegada dos anos 80, muitos músicos das décadas anteriores caíram no esquecimento frente ao pop das grandes gravadoras como Madonna, mas não Bowie, ao invés de seguir o caminho já percorrido do rock ele se transformou em ídolo pop com direito a protagonizar filmes de aventura como Labirinth, de 1986.

Publicidade

Na década de 90, com o renascimento do rock de garagem, Bowie apostou em uma sonoridade mais pesada com o seu disco Earthling (1997). Já no início dos anos 2000 se lançou em turnê mundial com o álbum Reality (2003), que trazia bons hits como Never Get Old e New Killer Star, porém um infarto em 2004 o fez cancelar a turnê, como também seus trabalhos de estúdio, passariam 10 anos até o lançamento de seu próximo disco The Next Day, seguido de Blackstar, seu álbum de despedida.