Funcionários do Centro de Audiovisual de São Bernardo (#cav) terão seus contratos rescindidos em 30 dias por orientação do Ministério Público, segundo informações da página da instituição no Facebook. Na prática, isso pode significar o fim de um projeto iniciado em 2012, oferecendo formação gratuita a 300 alunos em cursos de cinema, TV e animação. É também incerto o futuro da revitalização da Companhia Cinematográfica Vera Cruz e sua transformação em Complexo Vera Cruz anunciados há dois anos.

A empresa Telem SA, administradora do CAV e do Complexo Vera Cruz, convocou professores e funcionários para uma reunião na quinta-feira, dia 2 de março de 2017, para os comunicar sobre a rescisão de seus contratos, completa a nota na rede social.

Publicidade
Publicidade

Segundo o post da equipe, a prefeitura de São Bernardo ainda não se manifestou "após várias tentativas de contato, duas cartas protocoladas e quatro reuniões desmarcadas".

Ameaça ao Complexo Vera Cruz?

O projeto de revitalização dos 46 mil metros quadrados do Complexo Vera Cruz é também administrado pela Telem SA. O plano era transformar o local num grande pólo de formação e produção cinematográfica.

Reportagem do "Diário do Grande ABC" informa que a Telem, ao assumir a concessão da Vera Cruz em agosto de 2015, prometeu investir em sua revitalização R$ 156 milhões em recursos próprios, diluídos em cinco anos. O projeto, segundo o jornal, previa a construção de "teatro, estúdios, salas de pré e pós-produção, estacionamento, espaço de convivência e memorial". O CAV seria abrigado no mesmo local.

Publicidade

As atividades do CAV estão paralisadas. O processo seletivo da escola, marcado para 11 de fevereiro de 2017, com mais de mil inscritos, ainda não ocorreu. Alguns funcionários estão com salários atrasados. Não há previsão sobre a retomada das aulas, oficinas e workshops das quais já participaram mais de 700 pessoas.

Criado há cinco anos, o CAV nasceu da parceria entre Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual e Prefeitura de São Bernardo do Campo. A revitalização dos estúdios Vera Cruz faz parte do acordo entre as partes e a concessionária, a Telem SA, que tem também como responsabilidade a manutenção e o pagamento dos profissionais do CAV.

O documentário inédito "Clausura", sobre artistas que sofrem de doenças mentais, foi criado por alunos formados pelo CAV em 2016. Selecionado para participar da 3ª Mostra de Cinema Feminista de Belo Horizonte - MG, o curta-metragem, dirigido por Mariana França e Gildo Antonio, debate o estigma sofrido por portadores de depressão, transtorno bipolar e esquizofrenia.

#veracruz #Crise