Uma estatueta etrusca de bronze, que estava desaparecida desde a Segunda Guerra Mundial, foi recuperada, nessa terça-feira (28), pelos museus de Berlim, na Alemanha. De acordo com a Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano (SPK), da qual fazem parte os museus públicos de Berlim, a obra de #Arte estava na coleção particular de um britânico que adquiriu a estatueta antes do ano de 1979.

A escultura é de um guerreiro com capacete e fazia parte de um acervo de arte antiga dos museus de Berlim desde 1869. A peça foi identificada recentemente no mercado de obras de arte, quando uma casa de leilão britânica, que deveria revender a peça, entrou em contato com uma especialista do #Museu Britânico.

Publicidade
Publicidade

Ao avaliar o objeto, imediatamente a profissional reconheceu a obra como a escultura desaparecida do acervo berlinense. Sendo assim, a casa de leilão se dispôs a devolver a peça ao seu legítimo proprietário.

O presidente da Fundação do Patrimônio Cultural Prussiano, Hermann Parzinger, afirmou que esse é um excelente exemplo de como museus, proprietários e marchands podem trabalhar juntos para devolver aos acervos obras de arte que desapareceram por conta de circunstâncias históricas.

A estátua recuperada é a figura de bronze de um guerreiro com capacete, possui 17 cm de altura e a escultura ainda possuía uma lança e um escudo, peças que foram perdidas no século 19, quando o objeto foi doado pelo arqueólogo Eduard Gerhard à coleção berlinense. A peça data do final do século 6 e início do século 5 antes de Cristo e faz parte de uma coleção de estatuetas com traços abstratos que retratam cenas de guerra.

Publicidade

A arte etrusca foi desenvolvida pelos etruscos, uma civilização antiga que viveu na Península Itálica em uma região denominada Etrúria, atual Toscana. Foi um exemplo de civilização avançada para a época e influenciou diversos povos, como os romanos.

A arte dos etruscos se diversificou no artesanato, na pintura, nas esculturas e na arquitetura. Utilizavam materiais como barro, argila, terracota, pedras, madeira, marfim, mármore e ouro.

Também dominaram a técnica de fundir metais e se destacaram ao desenvolver diversas peças de ferro e bronze. Esse é o caso da #Escultura recuperada pelo acervo de obras de arte dos museus de Berlim. A figura do guerreiro com capacete representa uma das principais características das esculturas etruscas, o realismo.