O Internet Movie Database, o IMDb, adotou, neste dia 8 de março, a classificação F-Rated, um sistema que ressalta os filmes que são escritos e/ou dirigidos por mulheres, e possuem personagens femininas em destaque nas produções.

Inspirado no #Teste Bechdel, o sistema adquirido pelo IMDb foi criado em 2014 pela diretora executiva do festival de #Cinema de Bath, Holly Tarquini, para determinar se uma obra de ficção mostra, pelo menos, duas mulheres falando entre si, cujo o tema não seja um homem. Segundo a CEO e fundadora do IMDb, Cola Needham, o F-Rating é um ótimo para mostrar os trabalhos das mulheres na frente e atrás das câmeras.

Publicidade
Publicidade

Até o momento, quase 22 mil filmes já foram incluídos na classificação. Entre eles estão "Frozen - uma Aventura Congelante", "Rogue One: Uma História Star Wars" (que conseguiu a classificação somente com o trailer), "A Garota no Trem" e o clássico com Marylin Monroe "Os Homens Preferem as Loiras".

Existem variáveis para a classificação, porém, a principal é quando os longas-metragens conseguem atingir a "classificação tripla", quando os roteiros são feitos por mulheres, a direção está a cargo de uma mulher e a mulher possui destaque na película.. Needham acredita que esse F-Rating não seja necessária em alguns anos, quando a igualdade de gênero existir em Hollywood por completo.

Teste Bechdel

O Teste Bechdel foi criado para saber se pelo menos duas mulheres, ou garotas, em longas-metragens ou qualquer outra obra de ficção fale uma com a outra, sem mencionar um homem ou um garoto.

Publicidade

Além disso, precisam falar o nome uma da outra e ter mais de um minuto de diálogo.

Também conhecido como Teste Bechdel-Wallace, o teste foi nomeado após a cartunista Alison Bechdel, que o quadrinho "Dykes to Watch Out For", de 1985, mostrou as regras para um filme ter a classificação. Depois da popularidade dos anos 2000, variantes surgiram como a de 2013 criada pelo GLAAD, em que para receber a classificação, o filme precisa conter um personagem que se identifica como lésbica, gay, bissexual e/ou transgênro; não pode ser predominantemente definido por sua identidade de gênero ou com quem se relaciona; e teve ter relação com a trama principal, e que sua ausência cause efeito negativo. #Cultura