O serviço de streaming revelou nesta semana que a série 3%, primeira série brasileira da plataforma, é o seriado original de língua não-inglesa mais assistida nos Estados Unidos desde seu lançamento, em 25 de novembro do ano passado. O comunicado à imprensa também ressalta que metade do total de horas vistas da série são do mercado internacional.

Segundo Erik Barmack, vice-presidente de Originais Internacionais da Netflix, em uma entrevista ao Estado de São Paulo, a atração brasileira possui uma trama capaz de gerar empatia de diversos públicos ao redor do mundo. "A série foi amplamente vista fora do Brasil em diversos países, o que nos mostra que há sempre um público para uma grande narrativa, seja com conteúdo produzido nos Estados Unidos, Brasil, Singapura, Austrália, Índia ou no Oriente Médio.", disse Barmack.

Publicidade
Publicidade

O vice-presidente fez questão de afirmar que a segunda temporada, confirmada durante a participação da plataforma na terceira edição da ComicCon Experience (CCXP) em São Paulo, foi em, entre outras, razão do sucesso que a série conseguiu ao redor do mundo. Além disso, elogiou os produtores, diretores, elenco e a premissa de 3%.

Levantamento

O estudo realizado pela #Netflix considerou todas as séries faladas em outro idioma, que não fosse o inglês, exibidas pelo serviço de streaming. O levantamento não contabilizou somente produtos originais da plataforma. Os números da audiência, como usualmente, não foram liberados pelo serviço, mas afirmaram que, além dos EUA, 3% possui bons números de espectadores em países como Austrália, Canadá, Itália, Coréia do Sul e Turquia. Ao todo, mais de 190 países possuem em seu catálogo a série, que recebeu boa crítica de veículos internacionais.

Publicidade

Cesar Charlone será o diretor da segunda temporada da série, que terá os roteiros de Pedro Agulera. Bianca Comparato, João Miguel, Michel Gomes, Vaneza Oliveira e Rodolfo Valente devem retornar a interpretar seus papéis. A data de estreia ainda é incerta, mas a série já está em pré-produção.

Na primeira temporada, o mundo pós-apocalíptico é dividido entre o Maralto e o Continente. Em um processo que jovens de 20 anos podem participar, apenas 3% da população conseguem entrar no Maralto e viver melhor. No Rotten Tomatoes, a série possui 80% de aprovação e no IMDB a média é de 7.7. #3 porcento #Seriados