Em 1936, a monarquia britânica é surpreendida com a notícia da abdicação do Rei Eduardo VIII. O pedido do próprio, que foi motivado por questões pessoais e por seu grande amor, deixaria o trono para a infelicidade da família real.

Mas, quem era essa grande mulher atrás desse grande homem que acabou provocando esse escândalo? Seu nome é Wallis Simpson, uma socialite americana e que já havia se divorciado por duas vezes. Em seu primeiro casamento conturbado com o oficial da marinha Earl Spencer enfrentou a opressão de um homem violento que a reprimia. Em seu segundo casamento, vivia em um relacionamento monótono ao lado do recatado executivo de transportes Ernest Simpson, contudo não estava muito satisfeita.

Publicidade
Publicidade

Mesmo porque, em 1934, é apresentada a Eduardo através de uma amiga, que era a amante do mesmo. A partir desse momento ambos começam a ter um romance secreto, longe dos olhos de todos.

Wallis era uma mulher a frente do seu tempo, não era considerada bonita para alguns. Mas tinha olhos azuis cativantes e uma inteligência admirada por todos ao seu redor. Foi o seu charme, humor, e sua forte presença peculiar que chamou a atenção de Eduardo. Entre os anos de 1934 a 1936, ambos começaram a expor sobre sua relação, devido suas viagens pela Europa ao lado de Wallis. O então recém-sucessor do trono, após a morte de seu pai, o Rei Jorge V, não demorou muito para abdicar da coroa e viver ao lado de seu grande amor, como ele então definia. Em 1936, decidido em prosseguir com seu objetivo, trava um um conflito com sua própria família que duraria até sua morte.

Publicidade

O momento foi tenso e decisivo para o destino da coroa britânica, Eduardo preparou seu discurso de despedida e leu para toda sua nação ouvir os verdadeiros motivos de sua abdicação.

Depois de uma reclusão entre os dois, para amenizar o assédio da impressa a Wallis, que foi duramente massacrada e desprezada pela família real, pois uma mulher divorciada duas vezes e com um estilo de vida liberal não era considerada digna para honrar um título de Duquesa de Windsor. Mas o sentimento entre os dois falou mais alto do que os boatos que espalhavam sobre sua vida, viveram entre os anos de 50 e 60 com um status de celebridade, transitando entre festas e aparições ao lado de grandes personalidades políticas. Existem relatos que o casal era simpatizante a nazistas, porém isso nunca foi confirmado.

Wallis Simpson era uma mulher elegante, fina e conservada. Apesar de ter uma vida muito exposta ao lado de Eduardo, ela desempenhou papéis como o trabalho voluntário a Cruz Vermelha auxiliando no tratamento infantil nas Bahamas.

Publicidade

Nunca teve filhos, por causa de um aborto feito durante seu primeiro casamento, o que a deixou estéril. A verdade é que o amor de Eduardo por ela era algo incomum. Ele não era manipulado, nem dependente dela, existia uma cumplicidade e fidelidade entre os dois, que nada e nem ninguém era capaz de destruir.

O casal passou os seus últimos anos em sua residência em Bois de Boulogne, Paris, França. Eduardo morreu de câncer em 1972 sendo sepultado no Reino Unido. Wallis viveu um pouco mais, cada vez mais reclusa e raramente aparecia em público. Com a saúde bastante fragilizada faleceu em 1986 em sua casa. Ela está sepultada ao lado do marido no Cemitério Real de Frogmore.

Wallis e Eduardo tiveram suas vidas retratadas no #Filme W.E. - O Romance do Século (2012), dirigido por Madonna. E muito recentemente na primeira temporada da série The Crown (2016), que é uma história biográfica sobre a família real do Reino Unido. #Cultura #WE