Um fato inquestionável na #Literatura brasileira foi o aumento do número de autores nos últimos anos. E isso é um bom sinal.

O fenômeno pode ter sua causa em vários fatores: inovações tecnológicas facilitaram o processo de edição e impressão de livros, adaptações literárias para o cinema entraram na ordem do dia (atiçando o imaginário de potenciais escritores), o número de concursos premiando poesia e prosa aumentou consideravelmente e a publicação de livros eletrônicos foi popularizada com a chegada da Amazon.

O número de publicações aumentou, mas principalmente as de autores independentes.

O que as editoras procuram?

Segundo Artur Vecchi, editor da AVEC, um dos motivos de um autor não conseguir contrato de publicação com uma grande #editora é o despreparo que possui em relação à escrita.

Publicidade
Publicidade

De fato, escrever profissionalmente não é o mesmo que apenas saber escrever.

Escrever um #livro é semelhante a correr uma maratona. Todo mundo sabe correr, basta acelerar os passos e lá vamos nós. Porém, correr profissionalmente requer um mínimo de conhecimento sobre fisiologia do exercício, disposição, paciência, alguns sacrifícios e muitas horas de treino.

O pior nesse contexto é o fato de que muitos autores não aceitam tal verdade. Escrevem um livro com os conhecimentos básicos que aprenderam no ensino médio, publicam e se decepcionam porque não conseguem levar a carreira para frente.

Do outro lado, existe a editora que é uma empresa e precisa ter recursos financeiros para continuar existindo. Daí um bom motivo pelo qual optam para as traduções de livros que já deram certo lá fora, pois significam vendas garantidas.

Publicidade

Uma coisa é certa nisso tudo, esse número grande de autores que surgiram nos últimos anos, e que a cada dia aumenta mais, precisa entender a importância do preparo e da busca por uma escrita de excelência.

Um escritor profissional conhece as qualidades requeridas para que um texto seja classificado como, no mínimo, aceitável pelo mercado editorial. Ignorar tal necessidade apenas fará com que a massa inflada de autores permaneça no anonimato, com péssimas condições e ganhos na prática literária, podendo, ainda, puxar para baixo o gabarito das obras nacionais.