O #Japan House, um espaço dedicado à cultura japonesa, é a iniciativa do governo japonês que promete oferecer um novo olhar do #Japão contemporâneo, sem esquecer as tradições. São Paulo será a primeira cidade do mundo a receber um espaço totalmente voltado à cultura e tradição japonesa. A metrópole possui a maior comunidade de nipônicos e descendentes fora do Japão. Por esse motivo, foi escolhida para sediar o primeiro o empreendimento desse gênero no mundo.

A Terra do Sol Nascente trouxe profissionais que dominam a construção em madeira, que está sendo aplicada à fachada do prédio. Somente os japoneses podem mexer na parte estrutural do prédio.

Publicidade
Publicidade

Essa é a mesma equipe que reformou o Pavilhão Japonês do Parque Ibirapuera, estrutura inspirada nos antigos palácios imperiais.

O Japan House promete uma viagem completa pela arte e os costumes da cultura japonesa, tudo em um único lugar e ainda mais na Avenida Paulista, espaço que reúne diversas exposições, bibliotecas, auditórios. O museu é completo e apresenta a estrutura necessária para suprir a demanda do público interessado. Até mesmo existe uma loja com diversos produtos japoneses, além de restaurante.

Outras duas unidades ainda serão inauguradas: uma em Londres, na Inglaterra, e a outra em Los Angeles, nos Estados Unidos. Tudo para aproximar culturas tão diferentes. O intuito do grande projeto internacional é misturar a tradição secular com a modernidade do século 21, valorizando de maneira sistemática a diversidade étnica e cultural que a globalização proporcionou ao mundo contemporâneo.

Publicidade

Em São Paulo, o tema da primeira exposição será o bambu. Cada piso apresenta uma obra particular feita com o material. O bambu foi escolhido por sua grande contribuição para a arquitetura e arte no Oriente.

Ele apresenta grande resistência ao desgaste mecânico e térmico, além de ser extremamente maleável e flexível. O bambu é extremamente importante para ser entender o desenvolvimento das civilizações orientais.

No museu, está exposta uma obra que levou 26 anos para ser completa. O artista conseguiu aperfeiçoar cada detalhe da escultura, tratando-a, definitivamente, como um projeto de vida, mais um exemplo de que a cultura japonesa é detalhista, perfeccionista e está em constante transformação.

A Japan House será aberta ao público nos sábados do mês de maio e a entrada é, até o momento desta publicação, gratuita.

Gostou? Veja mais artigos:

Conheça a ilha governada por gatos

Cachorro sonâmbulo

Curiosidades do Japão #2017