Para marcar os 15 anos da morte de um dos mais importantes expoentes do #espiritismo no Brasil, Francisco Cândido Xavier, mais conhecido como Chico Xavier, o Memorial batizado com o nome do médium realizará uma programação especial sobre sua vida e obra a partir desta sexta-feira (30), em Uberaba, Minas Gerais.

O evento criado pela Fundação Cultural (FCU) se iniciará às 9h e todos poderão participar. As atividades começarão com um concerto da Orquestra Municipal da cidade. Haverá ainda leituras realizadas em forma de teatro sobre os ensinamentos da doutrina espírita do líder religioso.

Outra atração importante será a mostra permanente “Chico Xavier – Memória e Amor”.

Publicidade
Publicidade

Nela, são usadas esculturas que remetem toda a jornada de Chico, com a proposta de remontar momentos importantes na vida do médium. Os visitantes poderão conferir até holografias (imagens com fotografia a laser) com a figura e bilhetes de Chico.

Para quem tem a curiosidade de saber mais sobre as primeiras psicografias do líder espírita, o repórter fotográfico Paulo Nogueira registrou imagens dos objetos em que foram realizadas as primeiras psicografias, como a mesa e o assento do médium. Os móveis foram emprestados pela Comunhão Espírita Cristã da cidade. O museólogo da Fundação, Carlos Vitor Silveira de Souza, declarou ao portal G1 que as atividades simbolizarão a homenagem aos 90 anos das revelações de Chico Xavier.

O médium começou a falar com os espíritos desde a infância, em Minas Gerais.

Publicidade

Ao participar de um concurso de redação, Chico recebeu diversas homenagens quando escreveu um texto muito bem redigido, que ele contou ter recebido o auxílio de um espírito. Mas o líder espírita ganhou notoriedade em 1932, quando publicou a obra “Parnaso de Além-Túmulo”, uma compilação de 259 poemas em nome dos espíritos Castro Alves, Augusto dos Anjos e Casimiro de Abreu.

Com as atenções voltadas ao autor mediúnico, em 1971, a extinta TV Tupi o convidou para o programa “Pinga-Fogo”, que teve 75% da audiência em São Paulo. A partir deste dia, Chico não parou mais de produzir conteúdos espíritas.

Foram 459 obras escritas ao longo de 92 anos em sua vida terrena. Seus textos já foram traduzidos em mais de 15 idiomas, entre eles japonês, grego, tcheco e até esperanto. Também existem versões em braile. Chico morreu aos 92 anos, em 30 de junho de 2002, coincidentemente no dia em que a Seleção Brasileira foi pentacampeã da Copa do Mundo. #MinasGerais #chicoxavier