A Disney [VIDEO] anunciou, nesta terça-feira (8), que lançará uma plataforma de filmes online no ano de 2019. A notícia promete abalar o maior serviço de #streaming, a #Netflix, que terá todo o conteúdo produzido pelos estúdios #Disney removido. Entre esses conteúdos, estão filmes de heróis da Marvel, animações da Pixar e produções Lucasfilm. De acordo com o presidente Bob Iger, a escolha de criar esse novo serviço não tem como objetivo central competir com o principal concorrente de televisões e cinemas. A necessidade na verdade veio da queda de assinantes do canal de esporte ESPN.

O canal esportivo também irá lançar uma plataforma semelhante a que a Disney fará para os filmes, mas a data para estreia vai ser mais cedo, ano que vem, no início de 2018.

Publicidade
Publicidade

De acordo com O Globo, o diretor executivo explicou em conference call para investidores que a empresa tomou essas decisões de alteração de estratégia para ter maior possibilidade de controlar seu destino em um mundo em que as mudanças ocorrem muito rapidamente.

Como funcionará

Para a execução do novo veículo, os estúdios do Mickey Mouse fizeram uma parceria com a empresa de tecnologia de streaming lançada pela Major League Baseball, a BAMTech. Ainda segundo O Globo, a Disney já tinha adquirido uma participação de 33% no ano de passado e, agora, esse número será complementado por mais 42%, o que representa um valor de compra de US$1,58 milhão.

O estúdio divulgou, no mesmo dia do anúncio da nova plataforma, os resultados do trimestre encerrado do mês de junho. As informações são boas para ter uma noção do porquê criar um serviço de streaming próprio.

Publicidade

Os números retratam como as receitas caíram na comparação anual, de US$14,28 para US$14,24. Além disso, o lucro líquido também teve queda de 9%. Esses dados só se tornaram realidade devido ao declínio de assinaturas no canal ESPN, custos de produção altos e pouca audiência.

A transição para o online está cada vez mais frequente

Essa transição pode representar o futuro de boa parte dos veículos de comunicação. A migração para a produção de conteúdo online vem sendo uma opção para muitas empresas, que querem alcançar maior público. E por mais que a princípio a ideia vá gerar menos lucro a curto prazo, os resultados em longo prazo podem ser a solução para muitos problemas e por isso mesmo as grande corporações estão aderindo o projeto.

A Netflix [VIDEO] que até agora é o mais estruturado serviço de streaming terá uma perda enorme com a quantidade de filmes que irá perder quando a plataforma da Disney tiver início.