Publicidade
Publicidade

Aberta no último dia 7 de setembro e prevista para continuar até o dia 28 de janeiro de 2018, a exposição Renato Russo, do Museu e da Imagem e do Som, celebra o legado do vocalista e compositor da Legião Urbana, que não resistiu à complicações do HIV e faleceu em 11 de outubro de 1996.

Com acesso ao acervo pessoal de Russo (cedido pro seu filho, Giuliano Manfredini), a exposição tem curadoria de André Sturm e reúne objetos pessoais de Russo como manuscritos de músicas, instrumentos musicais, roupas, desenhos e cartas, entre outros.

Segundo o museu, grande parte dos objetos estava no apartamento em que Russo viveu entre os anos de 1990 e 1996.

Publicidade

Localizado em Ipanema, no Rio de Janeiro, o apartamento permaneceu fechado da maneira como Russo o deixou desde seu falecimento, há exatos 21 anos.

Com ingressos que vão de R$ 10 (meia) a R$ 20 (inteira), a exposição #Renato Russo surgiu de um projeto de pesquisa do Cemis (Centro de Memória e Informação do MIS). Em um vídeo divulgado pelo museu, é possível ver como o material foi recolhido na antiga residência de Russo para ser organizado e exibido pela exposição.

Confira o vídeo abaixo e acesse o site do MIS para encontrar mais informações sobre a exposição Renato Russo.

#Legião Urbana #Música