Publicidade
Publicidade

Paolo Sorrentino, 47 anos, é o cineasta responsável por produzir a obra sobre o antigo primeiro-ministro da Itália. Silvio Berlusconi citou em entrevista concedida à BBC que tem a intenção de retratar os bastidores do poder através da realidade da política, da máfia e da igreja. “Eu me interesso pelo homem que há por trás do político”, disse ele, que conquistou o Oscar com o #Filme “A Grande Beleza” em 2014.

Em uma coletiva de imprensa, na cidade de Milão, que promovia o referendo sobre a autonomia da Lombardia, seu local de nascimento, que ocorrerá no próximo dia 22 de outubro, o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi comentou o que aguarda da narrativa criada por Paolo Sorrentino: “Espero que não se trate de uma agressão política ou pessoal”.

Publicidade

Dentre as acusações contra ele durante sua vida estão crimes como lavagem de dinheiro, corrupção, evasão fiscal e participação em homicídio. Foi duas vezes condenado, uma por financiamento ilegal de partidos políticos e outra por corrupção de inspetores fiscais. Foi considerado inocente nas duas oportunidades pelo Tribunal de Recursos e também teve seu nome ligado a outros quatro processos - foi absolvido em todos por prescrição dos crimes.

Paolo Sorrentino afirma que o relato da história abordará uma visão mais ampla. “Mas meu filme não será apenas sobre Berlusconi. Será também sobre outros italianos, pessoas que giravam ao seu redor, na esperança de mudar os seus destinos usando Berlusconi”.

O ator Toni Servillo tem o papel de maior destaque e representará o político dentro da história intitulada ”Loro”, que corresponde a “eles”, em português.

Publicidade

As filmagens começaram a ser feitas em Roma, capital da Itália, em um local próximo à mansão conhecida como Palácio Grazioli, residência oficial do político onde ocorriam jantares entre ele e garotas de programa.

Esses encontros também ocorriam na Sardenha, lugar onde o magnata italiano tinha outra mansão localizada em Villa Certosa, e ganharam repercussão mundial após as imagens serem divulgadas pelos grandes jornais ao redor do mundo. O El País publicou uma série de fotos com exclusividade das festas dadas pelo ex-premier com mulheres fazendo topless e depoimento de quatro mulheres que confirmaram receber dinheiro para participar dos eventos no palácio Grazioli e na casa de Villa Certosa.

Nesta semana houve o lançamento de imagens do longa-metragem "Loro". #Cinema #Arte