Muitas mulheres têm comentado sobre a perda de ar pela #vagina durante o ato sexual. Ao sair, esse ar emite sons semelhantes ao do flato anal, o que pode ser bastante constrangedor no meio da relação. O "punzinho vaginal", ou flatus vaginalis, nada mais é do que o ar que entra no canal vaginal durante a relação sexual e que sai de forma barulhenta quando a mulher muda de posição.

Ao contrário do que se pode pensar, os puns vaginais são comuns e acontecem com qualquer mulher durante as relações sexuais. Algumas posições podem favorecer a passagem de ar pela vagina, independente da idade da mulher, se ela tem filhos ou não.

No entanto, mulheres que tenham a musculatura do assoalho pélvico enfraquecida tem mais chances de sofrer dos flatos vaginais. Por sorte, essa musculatura enfraquecida pode ser fortalecida com exercícios.

Entendendo os flatos vaginais

Durante o ato sexual, segundo os especialistas, acontece a chamada desproporção dos órgãos vaginais. Quando as larguras da vagina e do pênis são diferentes, é inevitável a entrada de ar na vagina. Quando o ar sai da vagina, os lábios vaginais vibram e fazem o barulho que parece um pum.

Qualquer mulher pode vir a ter gases na vagina, no entanto, quem tem o canal vaginal alargado por conta de partos naturais está mais vulnerável ao problema. Os períneos fracos também podem ocasionar os flatos vaginais.

Se o o problema persiste e ocorre em toda relação sexual, é bem provável que a mulher esteja com os períneos fracos. Nesse casos, o ideal é fazer uma cirurgia de correção, a chamada perineoplastia.

O problema também pode se resolver com uma #fisioterapia vaginal, um tratamento que é feito em várias seções com um ginecologista. Nesses casos, é bom procurar um profissional de confiança.

Com o uso de um lubrificante íntimo, diminui o atrito do pênis com as paredes vaginais, assim como as chances de ocorrerem gases durante a relação sexual.

A velocidade da penetração durante o ato sexual também produz gases vaginais. Ao se evitarem os movimentos bruscos e rápidos, se evitam também os barulhos inconvenientes.

Algumas posições durante o ato são mais propícias ao acúmulo de gases na vagina, como ter relações na posição de "cachorrinho". É só identificar as posições incômodas e depois evitá-las nas próximas relações.

A técnica mais recomendada, no entanto, para se evitar gases vaginais, é a do pompoarismo. Essa milenar técnica oriental ajuda a fechar o cabal vaginal.