Segundo informações disponibilizadas pelo site Daily Mail, do Reino Unido, um incidente inusitado envolvendo uma cobra gigante aconteceu recentemente na Nigéria. De acordo a mídia local do país africano - e conforme relatou o site britânico -, o réptil estaria "fazendo a festa", se alimentando dos #Animais pertencentes aos aldeões de um vilarejo cujo nome e localização específica não foram divulgados.

Quando os fazendeiros encontraram uma enorme cobra com o ventre bastante inchado, deduziram que esta seria a serpente responsável pelo sumiço do seu gado, e não tiveram dúvidas: acabaram matando o bicho.

Após o animal ter sido morto, os aldeões abriram sua barriga com a intenção de encontrar a "prova do crime", mas então acabaram se surpreendendo. O fato é que a cobra, na verdade, estava grávida, e ao invés de gado, havia dezenas de ovos em desenvolvimento em seu ventre.

Espécie não venenosa

Segundo o Daily Mail, os ovos encontrados no ventre da cobra foram removidos e consumidos pelos moradores locais, que os consideram uma rara iguaria.

O site britânico afirmou que não foi possível identificar a que espécie o réptil pertencia, mas levando em conta seu tamanho e peso, e o fato de viver na África, provavelmente se tratava de um píton rochoso, espécie que pode chegar aos seis metros de comprimento.

O Daily Mail revelou que fontes pouco confiáveis, datadas dos anos 1950, atestam que naquela época foi encontrada e morta uma cobra grávida desta mesma espécie que possuía 7,5m de comprimento, e que, além disso, possuía um bebê totalmente desenvolvido em seu ventre, medindo 1,5m.

Assim como a sucuri ou anaconda, este tipo de cobra não possui veneno, e ataca através da constrição: a serpente se enrola no corpo de sua vítima, e aperta ao ponto em que a presa acaba morrendo. Acredita-se que a morte seja causada por parada cardíaca, ao invés de asfixia ou esmagamento.

Ainda de acordo com o Daily Mail, o píton rochoso africano se alimenta de uma grande variedade de animais quando está em áreas de floresta, incluindo roedores, lagartos, macacos, antílopes e até mesmo crocodilos, além de atacar filhotes de leopardos, leões e hienas. #Curiosidades