A vida sexual ainda é uma questão que gera muitas #Dúvidas na cabeça das pessoas. Apesar de já ser confirmado cientificamente os benefícios de uma vida sexual ativa, nas área emocional quanto física, existem momentos particulares da vida em que muitas pessoas ficam em dúvida se a relação íntima está liberada ou se é melhor esperar um pouco. Listamos os momentos mais comuns de surgirem as dúvidas e esclarecemos se o #sexo está liberado ou não.

- Menstruação: segundo a ginecologista Sylvia Cavalcanti, manter relação durante o período menstrual depende de casal para casal. Não há contraindicação. Ela esclarece que tomando os devidos cuidados, até o sexo oral pode acontecer. O que ela deixa claro é o uso da camisinha, principalmente neste período, visto que a mulher estará sangrando e por isso mais suscetível a pegar e transmitir doenças, e também pegar infecções.

- Quando o sexo causa dor: a dor durante a relação sexual tem o nome de dispareunia e pode ser causada por infecções, feridas e até endometriose, no caso da mulher. Mas também pode ter como fundo questões psicológicas como traumas, depressão, falta de desejo. No homem pode ser causada por infecções, feridas e fissuras, além de doenças sexualmente transmissíveis, em ambos os casos. Segundo o ginecologista Fábio Rosito é sempre importante investigar a dor que surge durante a relação.

- Infecção urinária: segundo a Dra. Sylvia, quando uma mulher está com infecção urinária provavelmente ela não conseguirá manter relação devido a proximidade da vagina com a uretra e por causa da dor. Muitas vezes o próprio ato sexual pode causar a infecção e o indicado é esperar o fim do tratamento, que geralmente dura uns três dias, para retomar a vida sexual.

- Tratamento para DSTs: o indicado é não manter relação, para evitar uma transmissão e também por que o tratamento pode interferir na imunidade da pessoa e o sexo dificulta a recuperação.

- Gravidez: essa é uma grande questão que ronda os casais grávidos. Segundo a médica, não há problemas em manter relação durante a gravidez, pois isso não machucará a criança, nem estourará a bolsa. O indicado é escolher a posição mais confortável de acordo com o tamanho da barriga. A contraindicação é nos casos de gravidez de risco em que há risco de aborto ou do bebê nascer prematuramente.

- Quadro de baixa imunidade: quando a pessoa está com baixa imunidade ela fica mais propensa a pegar uma infecção e por isso mesmo, se a mesma ainda tiver disposição para manter relação, é indicado usar camisinha. Vale lembrar que o esforço físico da relação também pode dificultar a recuperação da pessoa.

- Fissura ou ferida na região íntima: nesses casos a ginecologista orienta a suspensão das relações sexuais. Segundo o urologista Augusto Cunha Campos Gonçalves, é preciso ficar atento ao tipo de ferida e procurar ajuda médica caso a área fique inflamada ou inchada. Além disso, deve-se evitar roupas que causem atrito ao local, manter uma boa higienização do local e verificar o andamento da ferida, se está melhorando ou não. #Relacionamento