A traição é algo que oferece uma das maiores dores que podemos sentir em nossa vida amorosa. Quem já foi traído certamente sabe do que estamos falando. A infidelidade pode fazer com que você se sinta a pior pessoa do mundo, depois de tanto amor e dedicação, a pessoa em quem você confiava te trocou pela “primeira pessoa que ela encontrou”.

Essa dor se mistura com decepção e o sentimento de humilhação, fazendo com que achamos que o problema, muitas vezes, somos nós. Talvez seja por isso que muita gente faz questão de “não enxergar” a traição em seu #Relacionamento, ignorando acontecimentos tão claros que, mesmo acontecendo “embaixo do nariz”, deixam passar, e tudo isso pode ser o medo de ter o choque da descoberta, preferindo viver constantemente com o fantasma da dúvida.

Muitas pessoas conseguem perceber que a traição está presente em seu relacionamento, apenas observando o seu parceiro, e isso não quer dizer que ela tenha poderes mediúnicos. Estudiosos da Universidade Ocidental da Austrália revelaram que o sexo feminino carrega uma capacidade intuitiva de notar quando o seu parceiro está mais propenso a cometer uma traição.

Predisposição a trair

Para que a pesquisa fosse realizada, os estudiosos reuniram várias mulheres que passaram a avaliar somente a aparência de homens que elas não conheciam pessoalmente. Com isso, os resultados revelaram que os julgamentos que foram baseados pela aparência do homem apresentavam um centro de veracidade.

Os estudiosos relatam que, quando não existem manifestações do verdadeiro #Comportamento masculino, as mulheres são capazes de identificar possíveis traidores através de sua aparência, os homens que apresentam uma aparência mais máscula podem ter mais facilidade para praticar a tão temida traição, conforme o sexo feminino.

E foi isso que aconteceu durante a pesquisa, as mulheres avaliaram os homens a partir de sua aparência, julgando os que apresentam uma postura mais masculina como homens infiéis, dizendo que sua postura extremamente masculina mostrava o quanto infiéis eles poderiam ser. Depois disso, o histórico de cada um foi estudado, comprovando que a intuição feminina realmente estava correta.

O mesmo estudo foi realizado com os homens, porém, os acertos foram bem menores, comparando com os resultados apresentados pelo sexo feminino.