Alguns fatores podem afetar drasticamente a vida sexual feminina, e isso acaba deixando a libido fora da vida sexual da mulher. Stress, canseira, tristeza e a correria diária são fatores que também podem colaborar para que isso aconteça, principalmente quando o relacionamento não possui diálogo, dificultando ainda mais a vida amorosa do casal.

O Dr. Amaury Mandes Jr, ginecologista e sexólogo, explica que, muitas vezes, essa falta de desejo e dor na hora da relação sexual pode ser causada pelo vaginismo, que é a contração dos músculos vaginais, oferecendo uma falsa impressão de ardência e dor. Isso pode tornar a penetração algo extremamente desconfortável para a mulher. Essa sensação pode ser causada por muitos tabus que envolvem a sexualidade, uma educação rígida e preferências manipuladas, explica Dr. Amaury.

O vaginismo é algo simples de se tratado e requer atenção da mulher, a sensação de desconforto sexual também pode acontecer devido a alguns traumas vivenciados durante a infância, criando algumas crenças desnecessárias, tornando a relação sexual algo “sujo”, fazendo que com a mulher sempre fique na defensiva em sua vida sexual. Isso pode ser tratado durante o ato sexual, em companhia de seu parceiro sexual, os métodos são simples e ensinados por um sexólogo ou ginecologista, não oferecendo dor e sendo algo totalmente objetivo na vida sexual da mulher.

“Nem sempre o nosso foco é tratar a vida sexual da mulher, o nosso objetivo é cuidar da autoestima feminina, fazendo com que ela se sinta capaz de tratar essa diminuição de prazeres, que acaba prejudicando sua vida social também e automaticamente passa a afetar a sua vida amorosa”. Por isso que a terapia acaba se tornando algo extremamente importante para a mulher, pois isso vai fluindo e suas resistências durante o amor vai caindo, oferecendo uma diminuição dessa sensibilidade na região vaginal que oferece essa ideia de dor e desconforto. Alguns exercícios também são capazes de eliminar esses sentimentos e fazer com que a mulher passe a sentir prazer durante o ato sexual.

“O uso de vibradores pode se tornar um grande aliado na vida sexual feminina, porém, isso só pode ser feito se a mulher tiver facilidade em aceitar o tratamento, já que os estímulos sexuais só são bem vindos se o cérebro aceitar”, explica Mendes Jr.

O médico diz que o mais importante é que a mulher se sinta totalmente relaxada durante o ato, se libertando das repressões constantes que envolvem o assunto. A mulher precisa se sentir forte e decidida sobre a sua sexualidade, sempre buscando o autoconhecimento de seu corpo e vendo que tudo isso é uma fonte inesgotável de prazer para ela própria. “Não podemos deixar que a sociedade coloque regras em nossa vida sexual, o prazer é algo conquistado e não devemos aceitar que tabus acabem influenciando e estragando aquele momento de prazer entre duas pessoas”, reforça o Dr. Amaury Mendes Jr. #Dicas #Curiosidades #Saúde