Você já deve saber que, mesmo sem passado eleitoral, o magnata do setor imobiliário e astro de um popular reality show de negócios (no qual foi baseada uma versão brasileira, O Aprendiz, que depois de apresentado pelo publicitário Roberto Justus, foi capitaneado por outra surpresa de 2016, João Doria, o primeiro a ser eleito em primeiro turno na capital paulista desde que a votação em dois turnos foi instituída na cidade) Donad Trump, candidato republicano, venceu na disputa pela presidência dos Estados Unidos a candidata democrata, a ex-senadora e ex-secretária de Estado Hillary Clinton, favorita nas pesquisas, questionando a confiabilidade das pesquisas de intenção de voto, que subestimaram a votação que ele receberia e apontaram como provável vencedora sua adversária. Enquanto os especialistas tentam achar as falhas em seus modelos, que até o fim falharam em antecipar a vitória de Trump, uma família pode somar aos seus louros o fato de ter previsto 16 anos atrás a chegada do bilionário à Casa Branca.

Qual família? Os Simpsons, claro. No episódio “Bart to the Future” (“Bart no Futuro’, no Brasil), exibido nos Estados Unidos em 2000, o filho mais velho de Homer e Marge Simpson tem uma visão do futuro, fornecida por um nativo americano, em um cassino. Lisa, sua irmã, é #Presidente dos Estados Unidos, tendo herdado uma crise orçamentária do “presidente Trump”. Segundo disse o criador da família animada, o cartunista Matt Groening, no começo deste ano ao jornal britânico The Guardian , a equipe que escreve e produz os Simpsons usou o nome do bilionário, pois era a piada mais absurda que podiam imaginar. Acrescentou “Continua sendo verdade, está além da sátira. Se ele for eleito, o que duvido muito que aconteça [mas acabou acontecendo, não é?] acho que ficaremos subitamente muito inspirados”. Assim sendo, aguardem o que vem pela frente nos futuros episódios de Os Simpsons, que, aliás tiveram recentemente suas vigésima nova e trigésima temporadas confirmadas. O “presidente Trump” que se cuide.

Trump já havia flertado outras vezes com a ideia de tentar uma candidatura presidencial, mas acabara desistindo, o que explica o porquê de, no começo do atual ciclo eleitoral, quando Trump mais uma vez disse que iria tentar a nomeação como candidato a presidente, o prestigiado blog americano Huffington Post anunciou que cobriria sua pré-candidatura na seção de entretenimento da publicação, pois Trump não estava seriamente interessado em ser eleito. Pois é, imagine se estivesse...

Apesar de espantosa, a coincidência (ou previsão) não é a única de seu tipo. Em 1968, no programa humorístico Laugh-In, o apresentador falou no quadro “notícia do futuro” sobre Ronald Reagan (então um ex-ator e governador do estado da Califórnia aparentemente sem espaço para ascender mais) ser presidente dos EUA em 1988. As risadas da plateia ao ouvir falam por si mesmas. Em 1980, Reagan foi eleito presidente, reelegeu-se em 1984 com vitória esmagadora, sendo presidente portanto em 1988. Mais: em 2011, um dos colunistas da revista de humor da internet Cracked, ao comentar a reação da plateia em 1968 e o triunfo de Reagan vinte anos depois, perguntou se alguém já tinha escrito alguma esquete maluca sobre o “President Trump”. “Riam o quanto quiserem, vai parecer estranhamente presciente [dotado de conhecimento do futuro] em, digamos 2017”, acrescentou o autor. Já mencionamos que Trump toma posse exatamente em janeiro de 2017?

Confira o vídeo:

#Donald Trump #os Simpson