Com certeza a televisão brasileira foi e será o meio de comunicação que mais protagonizou momentos que marcaram a nossa história.

E com certeza você já deve ter presenciado algum que te deixou em uma situação bastante desconfortável a ponto de não querer que seus #pais aparecessem na hora.

Sabe aquelas cenas em que a coisa está tão picante ou muito sensual que você fica com medo que apareça alguém na sala da sua casa? Pois são exatamente esses momentos que vamos te relembrar.

1 – Banheira do Gugu nos anos 90

Na época em que estava no ar, o quadro atraía pela irreverência ao colocar modelos em pequenos biquínis tentando impedir que cantores, atores e artistas diversos pegassem os sabonetes dentro de uma banheira.

Publicidade
Publicidade

O quadro também colocava artistas femininas contra modelos homens, mas quem realmente conseguiu deixar o nome ao lado da história da banheira foram as musas. Os marmanjos iam a loucura pois sempre rolava um peitinho que escapava do biquíni.

2 – Presença de Anita

Presença de Anita foi uma minissérie que deixou muita gente tensa e em estado de excitação ao extremo. Ela foi exibida pela #Rede Globo de Televisão no ano de 2001 (agosto), com quase 20 capítulos. E a trama foi marcada pelas cenas quentes e provocantes causadas pela personagem interpretada por Mel Lisboa. Quem não se lembra da cena da toalha? Fortes emoções para quem era adolescente na época. A minissérie foi um sucesso de público e crítica em 2001. Segundo o Ibope, acumulou média de 30 pontos na Grande São Paulo; a maior audiência dentre as minisséries da década de 2000.

Publicidade

3 – Cine Band Privê

Cine Band Privé (ou Cine Privé) foi uma sessão de filmes eróticos, para maiores de 18 anos, exibida pela Rede Bandeirantes às 1:30 (ou outros horários, dependendo da duração do programa anterior) de sábado para domingo. Seu repertório ia da comédia ao drama, sempre usando de sensualidade e de erotismo, não sendo filmes absolutamente pornográficos.

Inicialmente, era exibido às sextas-feiras (por este motivo, era chamado de Sexta Sexy), por volta de 1993. A partir de 1995, ganhou o novo nome, permitindo, assim, que a sessão fosse exibida em outros dias da semana. Em seu período de auge, o programa ficou entre as cinco maiores audiências da emissora e atingia picos de audiência no horário.

Esta sessão notabilizou-se pelos reprises de filmes do gênero como Emmanuelle. A sessão saiu do ar em dezembro de 2010.

Esse foi o maior clássico das madrugadas de sábado, na televisão, que você com certeza torceu para que seus pais jamais entrassem na sala enquanto assistia a um filme.

Publicidade

4 – Hilda Furacão

A minissérie escrita por Glória Perez, foi produzida e exibida pela Rede Globo entre 27 de maio e 23 de julho de 1998. Baseada no livro, que por sua vez, foi baseado na história de juventude da prostituta Hilda Maia Valentim, conhecida na zona boêmia de Belo Horizonte, como Hilda Furacão.

A cultuada minissérie rendeu muitas cenas quentes protagonizadas pela atriz Ana Paula Arósio, que apareceu completamente nua em diversos capítulos e acabou dando destaque para a trama. Ana estreou na TV Globo em Hilda Furacão, trabalho que lhe rendeu sucesso de público e crítica. A atriz foi escalada para interpretar a protagonista da minissérie dois meses após o início das gravações em Minas Gerais.

5 – As performances das personagens Tiazinha e Feiticeira

Programa H foi um programa voltado para o público jovem, exibido pela emissora Bandeirantes. Era apresentado de segunda a sexta. Teve três fases distintas, com nomes e apresentadores diferentes, mas seguindo o mesmo gênero.

Dentro desse programa, Tiazinha e Feiticeira protagonizaram muitos momentos de sedução que deixaram o público masculino babando no final da década de 90. As duas personagens elevaram a audiência do extinto "Programa H", apresentado então pelo Luciano Huck e posteriormente por Otaviano Costa e Sabrina Parlatore. Os adolescentes que vibravam com as musas, ficavam torcendo para que os pais não chegassem bem no momento que as duas apareciam. #anos 90