Que a prática sexual produz vários benefícios físicos e psicológicos não é novidade, mas uma pesquisa da Universidade McGill, uma universidade de língua inglesa localizada na província francófona do Quebec, no Canadá, parece ter achado outra vantagem – cognitiva esta – da prática sexual – pelo menos para as mulheres. O estudo abarcou 78 voluntárias heterossexuais, cujas idades variavam entre os 18 e 29 anos, as quais preencheram questionários sobre suas vidas sexuais e tiveram as memórias testadas pelos cientistas.

Entre as habilidades testadas estavam as de memorizar rostos, memorizar palavras e usar a memória para completar quadros.

Publicidade
Publicidade

O artigo que detalha os procedimentos da pesquisa e a conclusão foi escrito por Larah Maunder, Dorothée Schoemaker and Jens C. Pruessner, publicado no periódico científico Archives of Sexual Behaviour (Arquivos do Comportamento Sexual) e intitula-se Frequency of Penile-Vaginal Intercourse is Associated with Verbal Recognition Performance in Adult Women, em português, "A Frequência da Relação Peniano-Vaginal está Associada ao Desempenho em Reconhecimento Verbal das Mulheres Adultas. Como escreveu Bruce Lee (não, não é o famoso – e falecido – artista marcial e ator), colaborador da revista de negócios Forbes para assuntos de saúde, o título do artigo pode ser a maneira menos sexy possível de dizer “mulheres que fazem mais #sexo lembram-se melhor de palavras”

Basicamente, as mulheres mais ativas sexualmente obtiveram resultados melhores nos testes de memória, mas mais claramente nos testes de memória verbal, o que, pensam os cientistas, pode indicar que o sexo é especialmente benéfico para o hipocampo (uma estrutura que fica no meio do cérebro e ajuda lidar com a memória, mais com palavras do que imagens).

Publicidade

Por que seria assim, ainda não se sabe com certeza. Experiências parecidas feitas anteriormente com homens não chegaram a conclusões parecidas com as desse estudo com mulheres – e também não se sabe ainda o motivo dessa diferença.

Antes de partir para uma maratona de “exercícios para a memória”, é bom ter em mente que os resultados ainda não são conclusivos – não é impossível que outros fatores (por exemplo, empregos que atraem pessoas com boa memória ou que treinam a memória de seus ocupantes) possam explicar os resultados superiores das mulheres mais ativas sexualmente. É cedo para ter certeza, mas surgiu uma nova linha de investigação da memória humana.