Qual é a frequência certa de relações sexuais para um casal? Se o objetivo for a realmente a felicidade do casal, talvez a ciência tenha achado uma resposta útil para este (aparentemente) eterno enigma romântico. Estudo publicado no periódico Social Psychological and Personality Science indica que a frequência de relações sexuais é uma das variáveis mais importantes para a felicidade de um casal.

Os pesquisadores empreenderam uma revisão de estudos que, no total, abarcaram 30 mil voluntários. A conclusão a que eles chegaram é que a satisfação do casal sobe com a #frequência sexual até o limite de uma relação por semana.

Publicidade
Publicidade

Daí por diante, a satisfação atinge um plateau e não é mais afetado pelo aumento da frequência.

Interessantemente, os dados de um dos estudos levam a concluir que a frequência sexual é uma variável mais importante do que a renda do casal quando se trata de influência sobre sua satisfação com a vida.

As coisas, no entanto, são mais complicadas do que possam parecer a princípio: por exemplo, a relação entre frequência e satisfação só se mostrou verdadeira para os casados, não para os casais solteiros - não se sabe ainda o porquê. Além disso, é difícil separar, com certeza, causa e consequência: casais felizes fazem #sexo frequentemente ou casais que fazem sexo frequentemente são felizes?

Os estudos revisados foram três. Um acompanhou 25 mil pessoas por 23 anos. Outro estudo analisou 335 pessoas de diferentes etnias e comparou o efeito da frequência sexual com o efeito da renda do casal na satisfação externada.

Publicidade

Por último, um estudo acompanhou por 14 anos 2400 casais e registrou suas frequências sexuais e níveis de felicidade.

Evidentemente, os resultados das pesquisas são médios: cada casal - na verdade, cada pessoa - tem seu próprio ritmo, que o faz feliz, e suas próprias necessidades, que idealmente serão satisfeitas. Por isso, conversa, compreensão e carinho são essenciais no trato da vida sexual do casal, bem como no trato das outras facetas da vida romântica.