Syed Shah, de 30 anos, ganhava sua vida como curandeiro espiritual,e convenceu uma mulher, de 28 anos, de que poderia salvar o seu #Casamento.

O homem conseguiu que ela concordasse em fazer essa 'purificação' no seu casamento, uma cura que custava 7.500 dólares. Para essa salvação, a mulher aceitou fazer #sexo, por duas vezes, com esse homem. No tribunal de Birmingham, o homem foi considerado um agressor sexual e, além de ter se aproveitado da vulnerabilidade dessa mulher, ele teria ainda abusado de uma outra, o que lhe valeu uma pena de doze anos de cadeia.

O juiz não teve dúvidas em afirmar que Syed Shah abusou sexualmente de duas mulheres. No primeiro caso, o homem, que não assumiu trabalhar de #curandeiro, teria persuadido uma mulher a se despir, abusando dela. Por essa razão, o homem foi condenado a dois anos de cadeia. Foi ao ler a reportagem desse caso no Birmingham Mail, que a segunda mulher percebeu que ele era um abusador e foi na polícia contar sua história, e os abusos que tinha sofrido.

A mulher, que tem sua identidade protegida, teria contatado Syed Shah por estar passando por problemas em seu casamento de três anos. Com um filho pequeno, ela estava temendo por seu relacionamento e resolveu procurar ajuda. Inicialmente, o curandeiro propôs algumas técnicas. Alegadamente, teriam sacrificado uma cabra e ainda convenceu essa mulher a fazer umas orações diariamente. Ela pagou por esses tratamentos, mas não viu resultados e resolveu regressar no curandeiro. Foi aí que ele conseguiu convencer essa "mulher vulnerável" pela fragilidade de seu relacionamento, de que, fazendo sexo com ele, ela salvaria o seu casamento.

Ela aceitou e teve relações sexuais, por duas vezes, com esse homem, acreditando que estava sendo "purificada". Além dos abusos, ela ainda pagou mais de 7.500 dólares nessas alegadas curas. Ela acabou desistindo do curandeiro, quando pensou que "poderia estar traindo" o seu marido. Depois, quando percebeu que esse homem era um charlatão, ela foi na polícia apresentar queixa.

No tribunal ficaram provados os abusos e Syed foi condenado a doze anos de cadeia, por ter se aproveitado dessas mulheres e ter abusado sexualmente delas. Além de ficar na prisão, ele terá ainda de pagar 12.500 dólares para a vítima.