Quando os humanos não percebem certos fenômenos através dos seus órgãos de sentido, isso não quer dizer que tais manifestações não estejam ocorrendo agora mesmo. Por exemplo, há uma grande quantidade de sons e ruídos misteriosos no entorno das pessoas. Grande parte deles é algo comum e logo são identificados por quem os escuta, mesmo que não se saiba de onde provem. Com o passar dos anos, o desenvolvimento da #Ciência e da tecnologia, os estudiosos conseguiram identificar sons que não se sabe originados de onde exatamente, acabando por provocar o surgimento dos mistérios universais, lendas e crendices populares que se confundem com a extrema complexidade e beleza da Terra e do universo como um todo.

Publicidade
Publicidade

Alguns sons intrigantes que atingem os humanos

  • Aurora boreal: além de proporcionar uma visão estonteante por tamanha beleza, a aurora boreal (ou luz do norte) é capaz de produzir sons fantasmagóricos aos ouvidos de alguns, estimulando as lendas e tradições das pessoas que habitam o norte do Ártico.

  • O Bloop: diz respeito aos sons de baixa frequência, os quais foram rastreados no ano de 1997 pela NOAA - Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA. Na ocasião o “barulho” teve aproximadamente 1 minuto de duração, cuja frequência foi gradativamente se elevando. Posteriormente a NOAA esclareceu que a origem do Bloop está nos terremotos por quebras de icebergs gigantes, com o som sendo detectado na região sul do oceano Pacífico.
  • Das profundidades dos oceanos: na área oeste do Pacífico Norte está situada a Depressão Challenger, mais especificamente na Fossa das Marianas, sendo o ponto mais profundo do planeta. Cientistas em 2016 introduziram um hidrofone folheado de titânio na fossa abissal, pensando que não iriam escutar nada, depois que passaram 3 semanas de gravações contínuas, todos ficaram estupefatos de que a aproximadamente 12.000 metros acontecia o fenômeno da cacofonia (som ruim ou confuso em grego) decorrente de vários ruídos dos animais marinhos, embarcações, máquinas diversas e pelos próprios humanos.
  • "A baleia mais triste do mundo": a produção de sons costuma provocar comoção nos indivíduos. Tanto é assim que em 1989, oceanógrafos perceberam um som extremamente solitário na canção de uma espécie de baleia que eles desconheciam até aquela época. O animal foi batizado de "Baleia de 52 hertz" porque é diferente dos outros cetáceos que cantam entre 15 e 25 hertz.
  • A canção da Lua: no ano de 2008 foi revelado por meio de gravações que a tripulação da missão espacial dos EUA, Apollo 10, quando sobrevoava a cerca de 15.000 metros a superfície lunar, pode ouvir sons nada comuns para os astronautas.
  • Júpiter, mais um cantor das galáxias: Juno, que é o nome mitológico da sonda da NASA ao orbitar perto de Júpiter “ouviu” uma verdadeira sinfonia acústica vinda diretamente do planeta.
  • O buraco negro: que tal um trio musical galáctico formado pela Lua, Júpiter e um buraco negro? Sim, o buraco negro supermassivo no cluster Perseus, foi apontado pela Nasa em 2003 como a fonte produtora de ondas sonoras 57 oitavas mais baixas do que um Dó corrente, ou seja, no contexto musical, é o equivalente a se dizer que o barulho do buraco negro é a própria nota Si bemol.
  • "The Hum", o Zumbido ou ruído inexplicável da Terra: ruído que provoca arrepios vindo de várias partes do planeta, mas que não tem a origem determinada com certeza, podendo ser advindo de transformações nos pólos da Terra ou serem causados pelo simples ruído interno do ouvido humano.
#Curiosidade #Terremoto