Para muitos (e especialmente muitas), é um exemplo de grosseria masculina e desconsideração pela parceira: depois do #sexo, o homem simplesmente vira de lado e começa a roncar, largando a mulher acordada e falando sozinha. A ciência, porém, tem algumas nuances a acrescentar à análise da situação.

Segundo explicou W. Christopher Winter, neurologista e especialista em sono à revista Men's Health, o hormônio prolactina, envolvido no processo de gratificação e saciedade sexuais, contrapondo-se à dopamina, envolvida na excitação sexual e também capaz de manter o indivíduo acordado, é um dos grandes responsáveis pela famigerada sonolência masculina.

Publicidade
Publicidade

O corpo feminino, explica o médico, não produz tanto do hormônio como o masculino em resposta ao ato sexual.

Outro hormônio, a oxitocina, também tem seu papel na situação. Ela é responsável pelo prazer sexual fornecendo uma sensação de bem-estar que se contrapõe ao estresse. Sua produção é estimulada pelas relações sexuais, facilitando com que o homem pegue no sono.

Um terceiro hormônio, chamado melotonina, ligado ao funcionamento do relógio biológico, também tem sua parcela de responsabilidade, especialmente se o casal faz sexo com as luzes apagadas: o organismo associa o escuro à hora de dormir, o que ajuda a causar a sensação de sonolência.

Bom, então não há nada a fazer, certo? Não é bem assim. Por maior que seja a tentação de parodiar Shakespeare e dizer que a culpa está em nossos hormônios e não em nós mesmos, com um pouco de esforço é possível conversar um pouco com a parceira, dar-lhe atenção.

Publicidade

Também é boa ideia explicar-lhe que está com sono - se quiser, fale dos hormônios - e deixar claro que não se trata de desinteresse por ela, mas apenas uma reação fisiológica ao sexo. Conversando, espera-se, vocês dois podem se entender.

Algumas dicas para evitar ou diminuir a sonolência na hora do prazer são evitar a posição horizontal, fazer sexo em ambientes claros ou deixar a cama depois do ato.

Além de poder causar sonolência, o sexo, segundo estudos, estimula o sistema imunológico, facilitando seu trabalho de combater vírus e bactérias, e favorece o bem-estar.