Rio Verde é uma cidade do interior de Goiás que fica há cerca de 200km da capital. Os dois policiais da foto que estavam em serviço de patrulhamento pela cidade e perceberam um garoto revirando lixo. Ao se aproximarem, perceberam a intenção do garoto. Ele buscava materiais escolares em frente a uma empresa de sucata de lixo. O garoto, Gabriel, de seis anos, estava muito sorridente, pois acabara de achar uma mochila azul rasgada. A história comoveu os dois policiais, Denilton Souza de 28 anos e Paulo Henrique Aires, 27.

A solidariedade dos soldados começou ao perguntarem o que ele faria com a mochila azul. O garoto respondeu todo feliz que iria estudar.

Publicidade
Publicidade

Ao abrir a mochila, eles viram que Gabriel levava também um par de tênis sem cadarço e com numeração menor. A alegria contagiante do garoto emocionou a dupla que decidiu fazer uma surpresa para o Gabriel.

Denilton, um dos novos amigos do garoto, ficou imediatamente muito emocionado pois lembrou que para sustentar a família e também comprar seus materiais escolares, vendia itens no sinal e também foi engraxate. E como ele era pobre, sabia que estudar era sua única chance na vida. Conta Denilton ainda que tudo passou como um filme em sua mente em apenas alguns segundos.

Os policiais muito queridos na região começaram a angariar tênis, roupas e outros objetos escolares para o jovem. Com a colaboração dos comerciantes da região, conseguiram vários itens. Um especial eles fizeram questão de caracterizar: um caminhão de brinquedo com o emblema da polícia (foto).

Publicidade

A história foi divulgada só agora, mas aconteceu no dia 16, segunda-feira. Os policiais apareceram de surpresa na casa onde mora o garoto e entregaram o "presente".

O policial Paulo Henrique lembra que provavelmente eles mudaram o destino do garoto, com um simples gesto.

O garoto que mora com a vó tinha apenas um apontador de lápis, que foi ganho de uma vizinha.

A vovó diz estar muito agradecida e que agora seu neto poderá estudar com dignidade.

Gabriel estuda no segundo ano num colégio para alunos especiais. Ele é hiperativo e toma remédio controlado. #caridade #generosidade #Casos de polícia