Não importa a sua idade, você provavelmente já a viu em algum lugar. Por mais filmes e derivados que possam ter sido lançados, sempre será a menininha loira e de vestido azul que estará em nosso imaginário. Esse é o efeito Disney, que estabeleceu quase que um padrão visual para todos os contos de fadas que conhecemos.

O filme “Alice in Wonderland” foi lançado em 1951, baseado nos livros de Lewis Carroll. Ele foi o 13º longa animado dos estúdios Disney e se tornou um verdadeiro clássico. O filme quase foi uma mistura de atores reais com personagens animados, mas a ideia foi descartada posteriormente.

Desde cedo, Walt Disney queria trabalhar na clássica história, mas foi preciso décadas para que seus planos se concretizassem.

Publicidade
Publicidade

Tudo foi embalado pelo sucesso do longa animado da Branca de Neve, um marco na história do cinema.

A atriz por trás da personagem

Agora, o que você talvez não saiba, é que a Alice realmente existe, ou quase! Na verdade, ela foi interpretada pela atriz Kathryn Beaumont.

Os estúdios Disney trabalhavam com uma técnica de desenhar por cima de movimentos reais, o que dava toda uma sutileza para as animações. Você pode perceber vários traços e trejeitos da atriz na personagem.

Além disso, a atriz também interpretou a Wendy do filme “Peter Pan” (1953).

Publicidade

Kathryn, hoje, tem 78 anos e continua emprestando sua voz para animações e vídeos games, inclusive interpretando suas clássicas personagens. Em 1998, ela recebeu o título de “Lenda da Disney”.

A verdadeira Alice

A história por trás da verdadeira Alice, a personagem dos livros, é muito mais obscura e sem muitas respostas. Tudo se resume ao fascínio do escritor por uma garotinha de 7 anos de idade, chamada Alice. Posteriormente, o autor do livro foi proibido pelos pais da menina de continuar a vê-la. Há várias especulações de interesses românticos e boatos de pedofilia, não esclarecidos até hoje. Por fim, a garota cresceu, teve 3 filhos e perdeu o contato com o escritor.

Acho melhor ficarmos com a versão da Disney, não é mesmo? #Curiosidade