Laura Smith é a dona da empresa britânica quem vem criando polêmica na internet. Antes ela tinha uma empresa modesta e “normal” de limpeza. Laura já foi diarista durante muitos anos. Um dia, segundo ela conta, recebeu um pedido peculiar de um cliente, perguntando se ele poderia ficar nu enquanto ela espanava a casa. O homem esclareceu que era naturista e ficaria incomodado em vestir alguma roupa enquanto ela limpava. Ela aceitou. Essa situação, relata, aflorou sua curiosidade sobre o naturismo.

Em entrevista ao jornal El País, Smith explica que começou várias pesquisas sobre o naturismo e constatou que muitas pessoas eram adeptas desta prática.

Publicidade
Publicidade

"Por que teriam que se vestir enquanto limpavam suas casas?", disse ela ao jornal. Pensou que seria um ótimo negócio ter diaristas que pudessem trabalhar nuas também.

Dessa forma nasceu a empresa "Naturist Cleaners". A matriz fica em Londres e recruta diaristas pela Internet para trabalharem por hora em casas selecionadas do Reino Unido, vestindo apenas luvas e chinelos. Os utilizadores do serviço – Laura Smith afirma que a maioria é naturista– pagam em média 260 reais e devem respeitar as regras: não tocar e nada de fotos ou vídeos das funcionárias. Oferecem também diaristas vestidas, que concordam que o cliente esteja nu, por menos da metade desse preço.

Não é pornô

Smith assegura que é um serviço voltado para a comunidade nudista e que possui avisos bem claros para não haver desentendimentos.

Publicidade

Explica que esclaerece aos clientes que não oferecem outras coisas. Ela relata que não é uma empresa com atrações adultas para quem quer outro tipo de oferta. "Nossa resposta é sempre não, quando nos perguntam se oferecemos outro tipo de serviço", afirmou na entrevista.

As funcionárias não trabalham de lingerie sexy, não há nada de erótico e trabalham só pela manhã para fugir da aparência de algo que seja animado. O preço é bem mais alto que o de uma diarista tradicional. Desse modo ela tenta evitar que as pessoas busquem por diversão. "Queremos usuários que entendam a ideia do naturismo. Treinamos as diaristas para identificarem algum tipo de perigo ao chegarem na casa, antes de ficarem nuas”, diz a dona da empresa. #Polêmica #Curiosidades #Emprego pelo Mundo