Maria Eliane Félix dos Santos, 45 anos, que estava desaparecida desde a manhã de quarta-feira (11), no Rio de Janeiro, foi encontrada. Às vésperas do parto, #Grávida de nove meses, seu sumiço causou grande preocupação na família, vizinhos, parentes e marido. Ela havia saído para ir a uma farmácia e não mais voltou.

Os agentes da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) relatam que a mulher foi encontrada por um taxista na Vila Kennedy, favela em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Ela estava em estado de choque e foi levada pelo taxista até em casa. Posteriormente, foi conduzida até o Hospital Municipal Rocha Faria.

O mais surpreendente da história vem agora: no hospital, a mulher passou por exames que constataram que ela nunca esteve grávida.

Publicidade
Publicidade

O fato foi confirmado pela delegada Elen Souto, titular da delegacia. "Trata-se de uma falsa gravidez", afirmou a policial. Maria Eliane não fez um depoimento oficial, mas os agentes que a conduziram ao hospital afirmaram que ela teve um "apagão" e, quando acordou, não estava mais grávida. Ela pediu para, antes de depor, conversar com seu marido.

O casal chegou a comemorar a chegada de "Rafaela" no réveillon, mas a bebê nunca esteve na barriga da mãe (foto).

A principal linha de investigação da polícia é uma simulação para manter um relacionamento com o marido.

A família afirmou que já tinha tudo planejado para o parto, que aconteceria em um hospital na Ilha do Governador. Mas, na quarta-feira, Maria sumiu! Saiu para comprar remédios na farmácia e nunca mais ninguém a viu.

Em nota, a Polícia Civil informou que "Maria Eliane Félix dos Santos, 45 anos, que estava desaparecida desde a noite do dia 11 de janeiro foi encontrada nesta sexta, 13, após sair de um táxi vindo da Vila Kennedy".

Publicidade

Continua a nota que os agentes da Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) a conduziram ao hospital Rocha Faria e que a mesma confirmou aos policiais que não estaria grávida. A informação também foi confirmada pelo hospital, que o exame de imagem, ultrassonografia, não constatou gravidez da paciente.

A Delegada irá ouvir a mulher apenas na segunda-feira (16), quando o caso poderá ser definitivamente esclarecido. #desaparecimento #Maternidade