A história é considerada surpreendente e conta o relato da escritora cingapuriana, Anita Moorjani de 57 anos e autora do livro ''Dying to be Me'', (em português, Morri para Renascer). A escritora conta que em 2006 foi diagnosticada com um câncer de linfoma de Hodgkin. Segundo especialistas no assunto, esse tipo de câncer é considerado como o pior de todos, pois a doença faz com que as células cancerígenas se espalhem pelo organismo, causando uma série de complicações.

Depois de quatro longos anos de luta, alguns órgãos de Anita começaram a parar de funcionar, foi então que ela entrou em estado de coma profundo. Na época, a mulher chegou a ser levada para o hospital mais próximo.

Publicidade
Publicidade

Mas, para o desespero de seus familiares, os próprios médicos já haviam perdido a esperança, e concluíram que não havia mais o que fazer. Mesmo assim, resolveram colocar a mulher em um quarto a espera de um milagre.

E, por incrível que pareça, algo inacreditável aconteceu com a mulher que acabou recuperando-se da doença e curando-se do linfoma. E o mais impressionante é que parte de sua cura não veio com o tratamento convencional, mas de uma EQM (Experiência de Quase Morte). De acordo com a versão de Anita, mesmo desacordada, podia observar tudo o que acontecia em sua volta. Foi como se o seu espírito tivesse se separado do seu corpo físico e ao mesmo tempo sentia-se envolvida por uma forte sensação de paz e segurança.

A escritora conta ainda que diante daquela situação, seu espírito foi levado para outra dimensão e enquanto seu corpo estava delimitado com a doença, sua alma vagava pelo mundo espiritual.

Publicidade

Ela conta que em determinado momento um homem vestido de branco da cabeça aos pés, havia lhe dado uma escolha: permanecer no mundo espiritual ou retornar para a vida. A mulher conta que optou em retornar para a vida e teve seu pedido aceito.

Ao retornar do mundo dos mortos, Anita apresentou uma breve melhora e acabou deixando os médicos perplexos e sem explicação. Os médicos acreditam que a mulher possa ter tido uma reação do cérebro em resposta à quimioterapia, enquanto ela estava inconsciente. Mas a escritora sabe muito bem o que viu. E afirma que a experiência lhe trouxe uma maior compreensão em relação à vida.

De acordo com a breve descrição do seu livro, o mundo espiritual é um lugar semelhante a Terra, com muitas casas, templos, jardins e bosques. No local, existem diversas colônias espirituais, onde os espíritos em um mesmo nível evolutivo se reúnem e acabam formando sociedades completamente organizadas. #morte após a vida #Entretenimento #Curiosidades