Quando o presidente americano Donald #Trump anunciou ainda em campanha que daria seguimento à construção de um muro na fronteira entre os #Estados Unidos e o México, a notícia foi aclamada de pé pelos seus eleitores e apoiadores que gritaram sob fortes aplausos: “ Build the wall” – Construa o muro!

Nestes dias, foi dada a primeira canetada para cumprimento daquilo que seria o passaporte da direita americana a um novo reposicionamento no mundo. Para o mal ou para o bem, as opiniões são bastante divergentes.

Contudo, o que precisa ser dito é que este muro não foi ideia de Trump e nem tampouco é visto como totalmente desnecessário por boa parte dos americanos.

Publicidade
Publicidade

É o que aponta uma pesquisa realizada recentemente mostrando que cerca de 81% deles apoiam a proposta de deportação imediata de imigrantes ilegítimos que tenham cometido crimes. E o muro, desde sua concepção original, foi pensado para conter a sangria das entradas ilegais e do tráfico de drogas.

Se talvez ele for novidade para você, não é mais novidade por lá. O muro já é popularmente conhecido há pelo menos duas décadas como o Muro do México, possuindo mais de mil quilômetros construídos. Portanto, esse empreendimento não será começado do zero.

Um breve histórico do muro

O tímido início data do último mandato de George Bush pai em 1991 que construiu cerca de 22 km de extensão com 3 metros de altura. Mas o muro mexicano tomou maior robustez com o presidente democrata Bill Clinton, em 1994.

Publicidade

Ele impulsionou o muro com a Operação Guardião. A iniciativa tinha como objetivo brecar a grossa imigração ilegal na região de San Diego, na Califórnia. Posteriormente, Bush filho deu continuidade assinando uma legislação conhecida como Secure Fence Act, que estimava um acréscimo de mais 1.100 km. Mas este avanço não aconteceu, devido a protestos e pressão. Contudo, o seu sucessor Barack Obama não deixou por menos e também deu uma turbinada no muro, inclusive duplicando o número de funcionários. Ele expandiu mais uma parte e reformou outras.

Agora, Donald Trump disse que a continuação será dada de imediato e que pretende construir os 1600 km restantes.

Sobre a fronteira

Essa fronteira possui bastante fatos interessantes. Ela é de longe a fronteira mais atravessada do mundo, com 10 milhões de transeuntes por ano. E esta contagem diz respeito somente à travessia que é feita legalmente. A estimativa é que haja outros 11 milhões de clandestinos mexicanos que entraram em terras estadunidenses.

Publicidade

Os mexicanos lideram com 52% do total de imigrantes que vivem nas cidades americanas. Em 2013 foi registrada a captura de 154.000 clandestinos no momento do passe, só na fronteira pelo rio Grande Valley.

A violência no México

Em 2010 a violência cresceu tanto nas cidades fronteiriças, que o governo Obama retirou dois de seus consulados nas cidades de Nuevo Laredo e Piedras Negras. Neste mesmo período, três pessoas ligadas à embaixada americana foram assassinadas em Ciudad Juarez - duas delas eram cidadãos americanos. Os cartéis e organizações criminosas só crescem nas cidades das fronteiras, vindo daí o aumento da violência. Se a construção do muro será um alívio dessa vizinhança barulhenta, o tempo dirá. #Donald Trump