Você já deve ter ouvido falar que os homens (especialmente eles, mas não somente eles, evidentemente) tendem a não prestar atenção na própria saúde, às vezes procurando ajuda médica apenas quando é tarde demais e pouco ou nada pode ser feito. Talvez até se lembre de uma campanha do Ministério da Saúde que teve por objetivo incentivar os homens a prestar mais atenção ao assunto. O caso ganhou manchetes pelo mundo a fora e é um ótimo (ainda que tenebroso) exemplo do que pode acontecer quando, por exemplo, uma pequena infecção não é tratada adequadamente desde o começo. Cuidado, portanto. As consequências do descuido e do pouco caso podem ser trágicas.

Publicidade
Publicidade

No quase longínquo ano de 2013, o fazendeiro Manakate Khew, morador da província tailandesa de Chahaengsao, bateu a cabeça em um implemento agrícola que estava rebocando com seu veículo. O local atingido logo ficou inchado. O senhor Khew não deu muita atenção ao caso, decidindo aplicar um bálsamo tradicional. O inchaço desapareceu e o trabalhador retomou sua faina diária. Parecia o fim da história - não era.

Recentemente, o inchaço voltou e estava maior. Os médicos perceberam que a região estava muito infeccionada. Depois de remover o tecido, que estava infeccionado, os profissionais de saúde descobriram que o senhor Khew estava com um linfoma (tipo de câncer que afeta um tipo de célula de defesa do organismo, o linfócito, que combate infecções) em estágio bastante avançado.

Publicidade

O rosto do trabalhador rural acabou inchado e deformado, com pus amarelo escorrendo das feridas na face.

O senhor Khew, que continua lutando por sua vida, está sendo tratado com sessões de quimioterapia e sessões de radioterapia, mas, devido ao estágio avançado em que se encontra a #Doença, está muito fraco, precisando ser alimentado através de um tubo, além de sentir grandes dificuldades para respirar, segundo explicou a jornalistas sua filha, que é sua única cuidadora. Felizmente, existe solidariedade. Um monge, famoso por seus serviços a causas humanitárias, chamado Bhin, residente da capital do pais asiático Bangkok, ficou sensibilizado pela história e conseguiu convencer outros monges, moradores da mesma província do fazendeiro, a financiar uma máquina para ajudar Khew a respirar. O monge Bhin também doou cerca de 1800 reais para despesas gerais do senhor Khew, já que a pensão para idosos a que este tem direito é de menos de 50 reais.