A arte que analisa e interpreta as marcas e linhas na palma da mão é conhecida como Quiromancia. Esse estudo possui métodos que identificam alguns aspectos da personalidade das pessoas, podendo dizer coisas como nossa forma de ser e até mesmo sobre o passado e futuro.

De acordo com algumas teorias ocidentais existem duas categorias de mãos, passivas e dominantes. A mão passiva, mostra-se de forma inconsciente e possui personalidade que não é facilmente identificada. Já a dominante caracteriza-se como autoconsciente, logo tem a personalidade aberta às pessoas ao seu redor.

Acredita-se que as pessoas com um “M” na palma da mão, possuem “mãos dominantes” e são atraídas para carreiras como escritor, jornalista e na area da educação, sem contar que são excelentes quando se trata de negócios.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o escritor Jon Saint-Germain, autor do livro Karmic Palmistry: Explore Past Lives, Soul Mates & Karma, as pessoas que nasceram com essas linhas formando a #letra M são identificadas por sua extrema motivação e disciplina. Ainda segundo o autor, essas pessoas são incríveis em seus trabalhos e conhecidas por possuir uma grande intuição, ao conseguir discernir qualquer tipo de situação. Além disso, são mestres na hora de ver através das outras pessoas e capazes de descobrir se estão mentindo, ou tentando os enganar de alguma forma.

Outra coisa que é levada em consideração na hora de analisar a palma das mãos de quem possui o M, é o lado dominante da pessoa, ou seja, se a mesma é destra ou canhota, isso influencia nas qualidades determinadas a essa interpretação. Segundo os estudiosos, quem tem o M do lado direito (pessoas destras) possuem todas as qualidades citadas anteriormente, enquanto que o contrário se aplica às pessoas canhotas.

Publicidade

Evidentemente, concordamos que nem todo mundo acredita na arte da quiromancia e outros assuntos relacionados ao mundo místico. Isso só tem relevância para os que acreditam em coisas deste tipo, porém não retira a importância do assunto, além disso, saber algo novo nunca é demais. #Curiosidade