Ela sabe que o cara está acompanhado. Mesmo assim faz de tudo para chamar a atenção dele. Lança olhares descarados, manda bilhete ou conversa animadamente ao pé do ouvido. Dar em cima de alguém comprometido requer coragem e uma boa dose de cara de pau.

A questão então é: como se comportar diante da investida da abusadinha? Fingir que não se importa ou tirar satisfação, como fez a estrela Ivete Sangalo ao ver o marido, Daniel Cady, de bate-papo com uma mulher enquanto cantava no palco. Quem já passou por essa experiência defende que fazer barraco não é a melhor estratégia. Mas o recado deve e precisa ser dado. O mesmo vale para os homens que veem suas companheiras serem “cantadas” por algum sem-noção.

Publicidade
Publicidade

Se o parceiro não estiver também flertando, a mulher pode, com educação e calma, se aproximar e participar da conversa, ou pode tirar o companheiro da cena usando um pretexto qualquer. Mas, em geral, quando o cara não dá abertura para flertes alheios, a mulher percebe e fica mais tranquila, deixando que o homem mesmo lide com a situação.

O ideal é que a parceira não leve para si essa briga e que não se sinta responsável em proteger seu relacionamento, o problema aumenta muito quando a briga passa a ser entre duas mulheres, isso porque aumenta o desafio. Quanto maior o desafio, mais reforçador este passa a ser. Assédio é normal, e nem todo mundo vai respeitar a pessoa por saber que ela é comprometida. O problema está mais na abertura que as pessoas comprometidas dão do que no assédio recebido.

Publicidade

Sem abertura, não existe assédio.

Veja agora 3 maneiras de como reagir às ameaças.

Conversa franca - A recomendação é ter uma conversa franca com o(a) parceiro(a) sobre liberdade e responsabilidade. E dizer o que espera de quem, livremente, está com você.

Avaliar a relação - Ele(a) está demonstrando interesse pela pessoa e gostando da situação?! Então, é hora de pensar se vale a pena seguir em frente com o relacionamento. Afinal de contas, o respeito é a base de uma relação.

Mudar de lugar - Se, na balada, a mulher/o homem inconveniente estiver dando em cima do(a) parceiro(a), uma alternativa é tentar se afastar e procurar um outro canto para ficar. Caso a pessoa insista, chame o(a) companheiro(a) para a pista de dança. #sexualidade #Relacionamentos #Namoro