O Carnaval de Salvador é considerado um dos melhores do mundo. A alegria da festa baiana atrai milhões de pessoas dos quatro cantos do planeta, e sempre fica um gostinho de quero mais no fim da folia. Porém, a trilha sonora da festa nem sempre deixa saudades, fazendo com que muitos agradeçam o fato dela durar apenas alguns dias. Veja 4 músicas bizarras que fizeram muito sucesso no #Carnaval soteropolitano.

Maionese (Gilmelândia)

Lançada no fim do ano de 2001, a música foi um sucesso no Carnaval de Salvador, e consequentemente, em todo o país. A letra da música era confusa, tendo seu ápice no refrão:

"Maionese, ele me bate, bate feito maionese

E o que eu tinha tomado, subiu direto, e foi para cabeça"

Muito se especulou sobre o que verdadeiramente se trata a letra da canção, mas nunca se chegou a um consenso.

Publicidade
Publicidade

O hit era uma versão brasileira música La mayonesa, lançada em 2000, pelo grupo uruguaio Chocolate Latino.

Paredão metralhadora (Banda Vingadora)

Eleita a música do Carnaval 2016, o single foi tocado à exaustão em todo o país. Porém, o hit tinha uma melodia grudenta, acompanhada de um violino totalmente desnecessário e uma letra repetitiva e sem nexo, onde se começava falando em paredões de som e terminava com metralhadoras.

Liga da Justiça (Leva noiz)

Sem dúvida, uma das piores músicas já lançadas no Carnaval baiano. Interpretada pela banda de pagode Leva Noiz, a música começa falando de personagens de gibi e culmina no infame refrão de duplo sentido:

"Foge, foge, mulher maravilha. Foge, foge, com o Superman".

Quando artistas nacionalmente conhecidos como a cantora Ivete Sangalo e Márcio Vitor (vocalista da banda Psirico) passaram a incluir a música no repertório de apresentações, a música caiu na boca do povo.

Publicidade

Lobo mau (O Back)

Hit no Carnaval de Salvador em 2010, a música lançada pela banda O Back tinha como o tema a história da Chapeuzinho Vermelho e do Lobo Mau, usando e abusando do duplo sentido. O refrão repetia a frase "Vou te comer, vou te comer" diversas vezes. Novamente, a música se espalhou após grandes nomes do axé a incluírem na setlist de apresentações.

Enquanto uns levaram tudo na brincadeira, outros criticaram o single, alegando que a letra incitava a prática da pedofilia. Porém, as críticas não impediram o seu sucesso na folia baiana.

#Polêmica #Curiosidades