Frases do tipo: “Não tenho mais paciência, vou embora” ou “Meu amor chegou ao seu limites, não te aguento mais” têm se multiplicado assustadoramente nos nossos dias. As pessoas estão estabelecendo limites muito estreitos para a tolerância no casamento e esquecem que Deus demarcou para este compromisso uma extensão temporal relacionada com a duração da própria vida. “Enquanto ambos viverem”, este é o limite temporal de Deus para o casamento. Na mente dele, o compromisso conjugal deve acompanhar as pessoas enquanto elas existirem neste mundo onde vivem.

Um bom relógio que durou décadas foi aquele que nunca desprezou os segundos.

Publicidade
Publicidade

Uma visão duradoura do casamento precisa ser alimentada dia a dia, porque algo só será duradouro se for valorizado um dia de cada vez. O conceito de casamento como uma instituição duradoura fecha as portas para muitas conjecturas modernistas no sentido de romper o compromisso ao sinal da menor dificuldade. Estabelecer padrões elevados para o casal se manter unido negociando diferenças e buscando a tão sonhada felicidade familiar.

Veja agora 5 dicas de proteger seu #Relacionamento:

1 – Esteja sempre atento a que suas palavras e atitudes demostrem respeito a seu cônjuge. Ninguém, sobre a terra, deve ser mais digno de honra e respeito para você.

2- Tirem a palavra “divórcio” do seu vocabulário. Quando a separação é uma opção na mente do casal, os problemas parecem insolúveis.

3 – Seja o primeiro a tomar iniciativas que fortalecerão o matrimônio, exemplos de iniciativas: atividades físicas, reforma alimentar, tempo para conversar, programa a dois.

Publicidade

4 – Controle adequadamente suas finanças, este é um dos principais geradores de estresse, conflito e divórcios.

5 - Mantenha seu foco no presente. Evite estacionar no passado ou ansiar o futuro. Ambos trazem sofrimento desnecessário.

O que faz ficar junto é o compromisso, a decisão consciente de permanecer um ao lado do outro e de fazer o relacionamento dar certo. Entregue-se sem reservas à pessoa escolhida decore das palavras ditas naquele primeiro voto, que rejeita o ardil social da poligamia sequencial. #sexualidade #sexo