J.K. Rowling é, sem dúvida, uma das maiores escritoras do gênero de fantasia da atualidade. Sua principal obra, a história do bruxinho #Harry Potter, em 7 volumes, é um dos livros mais vendidos da História. A saga Harry Potter foi também adaptada para os cinemas, e eis aqui algumas razões para acreditar que J.K.Rowling é uma escritora genial, e se apaixonar - ainda mais - por Harry Potter.

Nicolas Flamel realmente existiu

A história da Pedra Filosofal foi inspirada na história de Nicolas (ou Nicolau em português) Flamel, um escritor e copista que ganhou fama por seus estudos em alquimia. Conta a lenda que Nicolas encontrou certa vez um livro repleto de hieróglifos e desenhos enigmáticos que continham a fórmula da Pedra Filosofal.

Publicidade
Publicidade

Ele e sua esposa Perenelle Flamel (também citada no livro Harry Potter e a Pedra Filosofal) viveram em Paris entre os séculos XIV e XV, eram muito ricos e realizavam muitos trabalhos de caridade, razão pela qual a lenda da Pedra Filosofal ganhou força, já que além de fornecer o elixir da vida, a pedra teria o poder de transmutar qualquer metal em ouro.

J.K.Rowling ‘’conhece’’ bem cada estudante de Hogwarts

J.K. Rowling mantém para si uma tabela completa com os nomes de cada um dos estudantes de Hogwarts, sua Casa na escola, suas capacidades e habilidades, sua ascendência e a quem são leais.

A batalha de Hogwarts ocorreu em 1998, ano em que foi publicado o primeiro livro de J.K.Rowling

Provavelmente uma coincidência, mas uma coincidência bastante interessante. O prólogo do último livro, escrito 19 anos depois da Batalha de Hogwarts, ocorreu em setembro de 2017, quando o filho de Harry, Alvo Severo Potter ingressa em seu primeiro ano em Hogwarts.

Publicidade

‘’Abro no fecho.’’

Patronos de Lilian e Tiago representavam almas gêmeas

O Patrono é a representação física da alma do bruxo que o conjura e desta forma, os patronos de Lilian (uma corça) e de Tiago Potter (um veado) representavam almas gêmeas.

Voldemort era incapaz de amar

Muito embora o filme ''O Enigma do Príncipe'' não dê muito destaque a história da vida de Lord Voldemort, no livro somos apresentados ao drama de Mérope Gaunt, uma bruxa tímida e bastante hostilizada pelo pai puro-sangue, que era apaixonada por Tom Riddle, que era nada mais, nada menos que um trouxa, o pai de Voldemort. Nunca tendo podido conquistá-lo de forma natural, Mérope deu à ele uma poção do amor. Voldemort foi concebido sob o efeito da mesma, sendo, por essa razão, incapaz de amar. Talvez por isso também o professor Slughorn se refira a poção do amor como uma poção bastante perigosa.

Os óculos de Harry

Você já deve ter se perguntado: se existe magia até pra consertar os dentes e outras características físicas, porque o Harry ainda precisa usar óculos.

Publicidade

Bem, além de talvez alguns bruxos terem a preferência estética de usar óculos, J.K.Rowling diz que a razão de Harry usar óculos é para lembrar-nos constantemente que ele é humano e vulnerável. Harry é, apesar de tudo, uma pessoa normal, cujo o sofrimento e os valores de amor e amizade conferiram força e fibra moral.

Nomes estelares da família Black

Sirius Black teve seu nome criado a partir da estrela Sirius, que está localizada na constelação de Cão Maior, uma ideia de genialidade sutil, já que Sirius é um animago com capacidade de transmutar-se num cão preto. Já Bellatrix é o nome da terceira estrela mais brilhante da constelação de Orion. Cão Maior e Orion, assim como suas respectivas estrelas Sirius e Bellatrix, podem ser observadas no seu noturno do hemisfério Sul em algumas partes do ano.

Hogwarts: Uma história

Hogwarts foi fundada por volta do ano de 1.000 d.C. Possui 4 casas de alunos (Grifinória, Lufa-Lufa, Corvinal e Sonserina) e 70 alunos em cada casa, sendo 5 em cada dormitório, totalizando um total de 280 alunos.

Hogwarts já teve 17 diretores conhecidos, entre eles Alvo Dumbledore, Severo Snape, Minerva McGonagall, Phineus Nigellus Black, e Dexter Fortescue (sim, ele era parente de Florean Fortescue, dono na sorveteria do Beco Diagonal). #Cinema #Literatura