Este é uma daquelas histórias em que é possível dizer que a realidade é mais bizarra que a ficção – e, no entanto, é algo que de fato aconteceu: nesta semana, o site britânico The Sun relembrou a chocante história de Lina Medina, menina que é considerada a mãe mais nova do mundo por engravidar e dar à luz aos cinco anos de idade.

Nascida em setembro de 1933, Lina foi criada em uma família com poucos recursos financeiros, que vivia em uma aldeia situada na região de Huancavelica, nos Andes peruano. Quando a menina tinha cinco anos, seu abdômen começou a crescer assustadoramente, e, além disso, a garota começou a se queixar de dores estomacais.

Publicidade
Publicidade

Segundo a Wikipédia, devido a esta situação Lina foi levada ao hospital da cidade de Pisco para fazer exames médicos. Ao se depararem com o estado clínico da menina, os profissionais de saúde que a atenderam suspeitaram, em um primeiro momento, que ela estava sofrendo com algum tipo de tumor, já que era apenas uma criança. Entretanto, após a execução de alguns testes, veio a chocante constatação: a garota estava grávida de sete meses, e uma cesariana seria necessária, já que a pélvis de Lina era muito pequena para que um bebê nascesse naturalmente.

A mãe mais nova do mundo

Gerardo Lozada, médico que realizou o parto de Lina, acabou constatando que a menina já possuía órgãos sexuais maduros, e que ela sofria de uma condição conhecida como puberdade precoce. Portanto, mesmo sendo tão pequena, ela de fato poderia engravidar, mesmo que tal possibilidade parecesse absurda.

Publicidade

Antes fazer a cesariana de Lina Medina, o Dr. Lozada a levou para a capital do Peru, Lima, para que outros profissionais atestassem sua gravidez, e semanas depois de seu estado ter sido confirmado, no dia 14 de maio de 1939, a garota deu à luz um menino saudável de 2,7 kg que foi batizado de Gerardo, em homenagem ao médico que fez o parto.

Lina nunca revelou quem era o pai da criança. De início, autoridades suspeitaram que Tiburelo Medina – o pai de Lina – havia violentado sexualmente a própria filha, tanto que chegou até a ser preso. No entanto, devido à falta de provas, acabou sendo libertado. O filho de Lina viveu até os 40 anos de idade, e morreu em 1979 devido a uma doença em sua medula óssea. Entretanto, nunca houve confirmação de que esta enfermidade tivesse qualquer relação com o fato de ele ter nascido de uma mãe tão nova.

Lina Medina se casou em 1970, teve um segundo filho e está viva até os dias atuais. #Crime #Maternidade