O horror começou em janeiro de 1949 com um som de gotejamento. Um leve gotejar de água distante em algum lugar atrás das paredes da casa. Logo, um crucifixo na parede começou a tremer, como se alguém ou algo tivesse batido nele. O som gotejante se dissipou e um ruído alto e inquietante arranhou-se debaixo das tábuas do chão de um dos quartos. O arranhão logo se tornou um rangido de alto-passo, semelhante a tênis travando em um chão de pedra. O som saltou para uma das camas e causou um #tremor violento.

Mais perturbações se seguiram e, em poucas semanas, um dos ocupantes da casa - um garoto de 13 anos conhecido como "Roland Doe" - acabaria aparentemente possuído, e seu corpo quase rasgado por um espírito, levando a meses torturantes e uma longa luta para tentar curá-lo.

Publicidade
Publicidade

O incidente continua sendo um dos casos mais famosos de exorcismo na história americana e serviu de inspiração para o livro "#O Exorcista". O confronto com o mal também inspirou o filme 'O exorcista', de Steven A. LaChance. O filme foi baseado no best-seller de 1971 por William Peter Blatty, que teve a ideia de uma história no jornal sobre o caso em Cottage City. O artigo detalhado conta como Doe começou a ser perseguido e há rumores de ter começado quando ele jogou com uma placa Ouija.

Coisas estranhas começaram a acontecer depois que Doe se deitou para dormir. Sua cama tremia e arranhões apareceriam em seu corpo que às vezes formavam palavras. Em fevereiro de 1949, ferimentos de cor vermelha que soletravam a palavra "LOUIS" apareceram perto das costelas do menino, e sua mãe amendrontada tomou como um sinal que deveria levar seu filho para St.

Publicidade

Louis - sua cidade natal.

Lá, um membro da família procurou a ajuda do padre Raymond Bishop, um professor clerical na universidade de St Louis. Durante a primeira bênção do padre, em 9 de março de 1949, a cama do menino começou a tremer e arranhões no formato de "zig-zag" apareceram do nada em seu corpo. Uma semana depois, o arcebispo concedeu permissão para um exorcismo total.

O exorcismo começou às 22h30, conduzido pelo bispo e por outros dois oficiais da igreja. À medida que os ritos eram lidos, Doe começou a tremer e a bater violentamente contra a cama, bem como Regan (interpretada por Linda Blair), a jovem vítima de "O Exorcista". A palavra "#Inferno" apareceu em seu peito. O momento mais culminante do filme, quando o possuído, no caso a menina Regan gira a cabeça em 360 graus, não aconteceu com Doe.

O assombro do menino terminou em abril de 1949, quando recebeu uma visão de um homem "com cabelos claros e ondulados" segurando uma "espada de fogo" e de pé sobre um poço contendo um demônio, escreveu Bishop em seu diário. De repente, o garoto declarou: "Ele se foi!" De acordo com relatos publicados, o menino passou a levar uma vida normal. Mas sua história atingiu um acorde cultural, aproveitando a ansiedade nacional que permeava na época.