#amizade bromossexual nada mais é que amigos de sexo masculino com interesses e orientações sexuais diferentes.

O UOL retratou uma cena típica desse tipo de amizade, que foi mote de uma propaganda americana. Dois melhores amigos do sexo masculino, Reza Farahan e Mike Shouhed, em um balneário, sumariamente vestidos e cada um deles olhando para objetos de desejo diferentes. Enquanto Farahan, homossexual, olhava para homens musculosos, Shouhed, heterossexual, olhava para as belas garotas que passavam pela praia.

Em resumo, um gay e um hétero sendo melhores amigos. Esse é o retrato do que se definiu chamar de amizade #bromossexual.

Publicidade
Publicidade

Essa cena, que há algum tempo atrás pode ter separado da cultura masculinas esse tipo de amizade, hoje tem se tornado mais comum nos Estados Unidos. Gays e héteros em conexão fraternal e com um gesto característico, o "fist bump", ou cumprimento de punhos cerrados.

Sobre a cena, Farahan disse que é muito amigo parecido com Mike. Ele confirma que ambos são muito "pegadores", mas, cada um na sua "praia". Na propaganda, ele explica que estão vivendo o mesmo momento e sentimento, mas um olhando para meninas e outro, para meninos.

Farahan ainda faz questão de afirmar que a amizade é puramente fraternal, sem nenhum interesse de nenhuma das partes.

Recentemente publicado, o romance "The Organised Criminal” (“O criminoso organizado”), de Jarlath Gregorygira, um escritor irlandês, retrata exatamente esse tipo de amizade, considerada pelo autor uma nova cultura familiar do século XXI.

Publicidade

Os protagonistas da obra vivem uma amizade fraternal, bromossexual.

A origem da palavra é simples, "bro", de "brother" ou irmão, e "sexual", com tradução literal.

Leitores da matéria original do site que publicou o assunto criticaram, dizendo que o nome nada mais seria que um rótulo.

Entretanto, Gregory, de 38 anos, que é gay, explica que esse tipo de relação não era sequer aceita há cerca de 10 anos. É claro que sempre existiram, mas, em um âmbito restrito.

A sociedade machista não aceitava a possibilidade de haver amizade entre gays e héteros sem interesse sexual, ou sem "queimar o filme" do hétero que ostentasse um amigo de verdade que fosse gay. Então, o batismo da relação é apenas para celebrar essa possibilidade, que não existia há anos atrás.

Também na cultura popular, apenas mais recentemente esse tipo de amizade foi para os livros de ficção, filmes e TV.

E você, o que acha desse novo tipo de amizade? Comente a matéria.