Quem viveu antes da década de 50, certamente consideraria a ideia de um avião gigante, capaz de transportar mais de 400 pessoas para qualquer lugar do mundo uma verdadeira loucura. Porém, a Boeing estava disposta a se tornar pioneira, criando um projeto audacioso para sua época, que até os dias de hoje continua sendo um dos símbolos da soberania aeronáutica norte-americana.

O início dos anos de 1960 marcam o início do aumento das viagens aéreas em diversos locais do mundo. As grandes fabricantes de aviões sabiam que ali estava o futuro das viagens de longo alcance, travessias do Atlântico que levariam pouco mais de uma semana dentro de um navio, poderiam ser realizadas em questão de poucas horas dentro de um Boeing 707 ou em um Douglas DC-8, mas a realidade é que as companhias aéreas não estavam apenas interessadas em velocidade, o número de passageiros transportados passou a ser uma prioridade, e a fabricante que mais rápido e melhor se adaptasse a essa demanda, certamente conseguiria conquistar muitos clientes.

Publicidade
Publicidade

O 747 a princípio seria um #avião criado para uso da Força Aérea dos Estados Unidos, porém após a mesma ter recusado o projeto, coube a Boeing aprimorá-lo para que fosse utilizado na aviação comercial. Antes mesmo de iniciar a construção da aeronave, já havia um problema, a fábrica da empresa não tinha capacidade para montar um avião tão grande, sendo assim, foi necessário construir hangares com o tamanho necessário para abrigar os aviões em todas as suas fases de montagem.

O lançamento da aeronave aconteceu em 1966, de cara a extinta companhia Pan Am encomendou 25 aviões da série 747-100, a extinta empresa teve papel importante durante o desenvolvimento da aeronave, tendo influenciado até mesmo em alguns detalhes do projeto.

Há exatos 48 anos, no dia 9 de fevereiro de 1969, decolava da base da Boeing em Washington o primeiro 747, tamanha era a satisfação dos norte-americanos, um colosso voador que foi considerado uma loucura por diversas pessoas tomava os céus, cruzando países e atravessando oceanos, tornando as distâncias menores e possibilitando novos tempos para a aviação.

Publicidade

Apesar de ter perdido o posto de maior avião comercial do planeta para o A-380, o jato da Boeing permanecerá para sempre sendo um dos pioneiros das viagens internacionais de longo alcance. #História #Curiosidades