Dois bilhões de xícaras de café são consumidas ao redor do mundo todos os dias, nos últimos 15 anos, o consumo da bebida aumentou 43%. Mas agora, os pesquisadores estão alertando que o café mais popular do mundo, o arábica, está sob ameaça. Embora existam 124 espécies conhecidas de café, a maior parte do que é cultivado vem de apenas de dois tipos: Arábica e Robusta. O café Arábica é o que impulsiona a indústria e representa a maior parte do que é cultivado em todo o mundo, mas é uma planta frágil e que só tolera condições ambientais peculiares.

De acordo com um relatório divulgado pelo Climate Institute da Austrália, o café pode ser desaparecer em aproximadamente 30 anos, caso o aquecimento global continue acontecendo na mesma intensidade.

Publicidade
Publicidade

Segundo pesquisadores, até o ano de 2050, a quantidade de terras reservadas para o cultivo do café deve ser reduzida pela metade devido a vários fatores decorrentes do desequilíbrio gerado pelas mudanças climáticas, como a proliferação de pragas e fungos. Ainda conforme os dados da pesquisa, é possível que até 2080 o café seja eliminado do planeta, causando um profundo impacto na economia e atingindo cerca de 120 milhões de pessoas que dependem do cultivo de café para sobreviver.

As condições climáticas extremas, incluindo chuvas fortes e secas, estão dificultando o cultivo do café, de acordo com o relatório. A seca no Brasil reduziu a produção de café em cerca de 30% em 2014 em Minas Gerais, uma das principais regiões cafeeiras. Mesmo meio grau de mudança de temperatura podem fazer uma região que costumava ser uma mina de ouro de café, se tornar inadequada.

Publicidade

Movimentar a produção para altitudes mais altas nem sempre é viável e pode ser especialmente difícil para os pequenos agricultores que compõem em torno de 80-90% dos cafeicultores.

Segundo o estudo, as regiões do planeta que não possuem altitude suficiente para lidar com as altas temperaturas serão as mais afetadas, a Tanzânia, um dos maiores produtores de café do mundo, já perde 140 kg de café anualmente a cada 1ºC a mais na temperatura.

Os consumidores de café, devem esperar por mudanças no sabor, aroma e principalmente no preço, que deve refletir a escassez na produção. Cada vez mais eventos climáticos extremos nas principais regiões produtoras de café parecem criar uma escassez de oferta, e condições mais quentes prejudicarão o sabor e o aroma, indica o estudo. #Café #Extinção