Quando o então adolescente Ron Johnson, com 16 anos de idade em 1971, presenciou um objeto voador não identificado (ovni/UFO) na fazenda da família, na pequena cidade de Delphos, Kansas (#EUA), na noite de 2 de novembro, não imaginava que o evento seria considerado um dos casos mais sólidos pela casuística ufológica.

Na ocasião, enquanto cuidava das ovelhas, às 19 horas, na companhia do cão Snowball, Johnson testemunhou um ovni com cerca de oito metros de diâmetro.

O objeto, segundo o rapaz, tinha forma de cogumelo e exibia luzes multicoloridas. Ele estava a 75 metros de distância das árvores, e apenas a alguns metros do solo.

Publicidade
Publicidade

Assustado e sem saber como agir, Johnson chamou os pais para observarem o UFO. Quando chegaram, os familiares ainda conseguiram ver a excêntrica espaçonave subir abruptamente para o céu, “como uma luz ofuscante”.

Contudo, a nave deixou uma misteriosa mancha branca no chão. Ela foi estudada e analisada durante anos pelo químico britânico Dr. Erol Faruk, que depois de décadas de trabalho em laboratório, lançou o livro The Compelling Scientific Evidence for UFOs, onde conclui que o material expelido é de origem extraterrestre. As informações são do jornal Express.

O estudioso ainda salienta que os componentes químicos no anel brilhante, deixados no solo da fazenda, afetaram a mãe do rapaz, que ao tocar à mancha branca, teve a mão dormente por algumas horas. O material também foi notado sobre as folhas de árvores próximas.

Publicidade

Ao obter amostras da substância enquanto trabalhava na Universidade de Nottingham (Inglaterra), Dr. Faruk passou anos estudando a química do produto. Agora, ele tem certeza que os resíduos são de origem extraplanetária.

Apesar de não conseguir identificar todos os elementos presentes no composto expelido pelo UFO, o cientista acentua ter detectado uma substância orgânica altamente solúvel em água que é potencialmente quimioluminescente.

“Isso poderia ter sido responsável pelo brilho visto na época”, fala.

FRAUDE DESCARTADA

De acordo com o químico, devido as incomuns características do composto, é improvável que a família tenha forjado a substância detectada no chão da fazenda.

Embora alguns pesquisadores aleguem se tratar de fungos, Dr.Faruk desqualifica essa hipótese, ao ressaltar que o “sal de metal alcalino solúvel em água de um ácido carboxílico orgânico encontrado no composto não seria produzido por um fungo”.

Na interpretação do cientista, o ovni depositou o elemento no solo enquanto se posicionava próximo a uma árvore.

"Uma vez que bastante desta solução foi depositada, o objeto partiu depois que a família de Johnson se aproximou da área do anel", comenta.

Dr.Faruk ainda revela ter sofrido ameaças veladas (ele não diz quem foi) devido ao estudo aprofundado do caso. Ele conta ter sido informado que estava investigando um assunto “inapropriado”.

Na foto 1, veja o elemento deixado pelo UFO. Na 2, imagem do garoto Ron Johnson com o cão, no dia do evento. #Curiosidades #Internet