Tudo começou quando uma verruga, do tamanho de uma ervilha, apareceu no rosto da menina Sahana Khatun, de 10 anos. Isso aconteceu há quatro meses e, na época, o pai dela não chegou a se preocupar com o ocorrido. Mas conforme mais verrugas foram aparecendo e começaram a surgir em várias partes do rosto da garota, toda a família começou a ficar preocupada. Então decidiram ir para uma vila, que fica no sul de Bangladesh na capital, Dhaka, para se consultar com um médico.

Segundo os especialistas, a suspeita é de que Sahana seja a primeira mulher a ter a #Doença chamada ‘epidermodisplasia verrucciforme’, que é conhecida pelo mundo todo como: ‘a doença do homem-árvore’. Se o diagnóstico da situação da menina for confirmado, ela pode ser incluída num pequeno grupo, junto com os homens que sofrem desta doença.

Publicidade
Publicidade

A epidermodisplasia verrucciforme é uma doença genética que é muito rara e que resulta verrugas secas como cascas de árvores. Elas afetam, em especial, as mãos e os pés da pessoa.

Embora haja muitos indícios de que a menina tenha a doença, os médicos ainda estão fazendo testes para saber de Sahana realmente é uma ‘#menina-árvore’. Entretanto, o pai dela, Mohammad Shahjahan, assim como toda a sua família, está muito preocupado, pois a situação deles não é muito favorável e como são pobres, temem não conseguir dar o tratamento adequado para a menina.

"Nós somos muito pobres, minha filha perdeu a mãe quando ela tinha apenas seis anos e espero que os médicos retirem as cascas do lindo rosto da minha filha", disse o pai de Sahana ao noticiário ‘AFP’.

Abul Bajandar, que também assim como Sahana, é de Bangladesh, é uma das poucas pessoas que sofrem da mesma doença.

Publicidade

O homem, que é pai e tem 27 anos, há cerca de 10 anos já não podia sequer tocar em sua esposa e em seu filho. As mãos dele já estavam todas cobertas por verrugas que se pareciam com galhos, cresciam e chegavam a pesar até cinco quilos. As terríveis deformidades também surgiram em suas pernas e ele ficou realmente parecendo uma árvore.

Abul foi o primeiro bengali a ter a doença e ser devidamente diagnosticado com o problema em 2016. Ele chegou a ser submetido a 16 cirurgias no Hospital Universitário de Dhaka para poder usar suas mãos novamente. Desse modo, ele teve que abandonar o seu trabalho de motorista.

Segundo o que Bajandar contou ao jornal ‘The Daily Star’, as suas verrugas começaram a surgir por volta dos seus 15 anos, mas de lá para cá, elas cresceram muito rápido, causando dor severa quando ele movia seus membros. Recentemente os médicos do hospital afirmaram que, enfim, ele poderia ganhar alta. #homem-árvore