A empresa privada SpaceX planeja o voo de dois clientes pagantes numa viagem turística em volta da #lua usando uma nave espacial em desenvolvimento para astronautas da Nasa e um foguete de carga pesada que ainda não foi testado.

Os dois serão os únicos tripulantes da Dragon 2, que decolará em 2018 de uma plataforma do complexo de Cabo Canaveral, na Flórida, a mesma do lançamento das missões lunares do programa Apollo. O programa teve 11 voos tripulados entre 1968 e 1972, incluindo a #Viagem que levou Neil Armstrong e Buzz Aldrin a pisar na superfície do satélite natural pela primeira vez em 20 de junho de 1969.

Os Estados Unidos não enviam astronautas à Lua desde 1972.

Publicidade
Publicidade

O objetivo é que a espaçonave faça uma volta ao redor da mesma, sem pousar no satélite natural. "Isto representa uma oportunidade para humanos retornarem ao #Espaço profundo pela primeira vez após 45 anos", afirmou o CEO da SpaceX, o magnata Elon Musk.

O lançamento do primeiro voo turístico financiado de forma privada para além da Estação Espacial Internacional está programado para o fim de 2018 e deve durar uma semana. Musk não quis identificar os clientes ou dizer quanto eles pagaram para participar da missão.

Segundo a rede CNN, é provável que a dupla esteja pagando “milhões de dólares” pelo passeio particular.

Elon Musk, CEO da SpaceX, informou nesta segunda-feira que os turistas entraram em contato com a empresa mostrando interesse na viagem. Assim que eles forem aprovados nos exames físicos e médicos necessários para o treinamento e o percurso, seus nomes serão divulgados

Ele também disse que os dois possíveis turistas espaciais se conhecem e que não são astros de Hollywood.

Publicidade

Segundo o CEO, os dois passageiros têm consciência dos riscos da missão.

"Esperamos conduzir testes de condição física e de saúde, assim como iniciar o treinamento no final deste ano", acrescentou.

Em setembro do ano passado, uma explosão destruiu um foguete da SpaceX, o Falcon 9, durante um teste de lançamento de rotina em Cabo Canaveral, na Flórida.

Outra explosão ocorreu em 2015, quando uma espaçonave não tripulada da SpaceX foi lançada levando suprimentos que seriam entregues à Estação Espacial Internacional.

"Eles não são ingênuos. Faremos de tudo para minimizar o risco, mas ele não é zero". Musk afirmou ainda que espera fazer outras missões turísticas a lua e acrescentou ao final da coletiva.“Isso deve ser muito empolgante.”