A ciência adora fazer pesquisas sobre assuntos que giram em torno da sexualidade e não é para menos, afinal, esse tema é extremamente importante para os seres humanos. Todos nós só existimos porque um homem e uma mulher tiveram uma relação íntima, ou então um casal teve uma ajudinha da ciência para uma fertilização artificial, que de qualquer maneira, une espermatozóide e óvulo. Uma pesquisa feita na Université du Québec à Montréal (UQAM) ajuda a explicar como a mulher se excita no momento íntimo. A descoberta tem por objetivo melhorar o conhecimento do corpo feminino, recheado de muitos mistérios. A partir dessa pesquisa, descobriu-se que elas reagem melhor a estímulos que unem vibração, pressão e o toque.

Publicidade
Publicidade

As três formas que mais estimulam as mulheres

Uma das maneiras de provocar um bom prazer nelas, de acordo com a pesquisa, é através do toque no pescoço e na região anal. A segunda e a terceira maneira são parecidas. Ambas mostram que as mulheres mostram sentir grande prazer no mamilo e em seu clitóris, mas com uma diferença. Isso pode acontecer através da vibração ou da pressão. A segunda maneira, a da vibração, não é tão usada pelas mulheres, mas a pesquisa encontrou resultados bastante expressivos e, para muitos, impensáveis ou inacreditáveis.

Detalhes sobre estudo são impressionantes

A Université du Québec à Montréal (UQAM) fez a análise com trinta mulheres sexualmente ativas, que tinha idade de 18 a 35 anos. Várias partes do corpo foram testadas e exames foram realizados para se chegar à conclusão do que é mais ou menos prazeroso e de que forma um toque pode ou não ser excitante, por exemplo.

Publicidade

As mulheres, durante o estudo, ficaram vendadas, enquanto os profissionais realizavam diferentes estímulos no corpo de cada uma delas. Após cada um deles, elas diziam o que sentiam e davam notas de um a dez para o prazer.

A pesquisa foi publicada pelo 'Jornaul of Sexual Medicine'. O estudo descobriu ainda que orientação sexual, menstruação e uso de contraceptivos, diferente do que alguns poderiam imaginar, não interfere na sensação de excitação. #Curiosidades