A bebida milenar feita a partir da fermentação do chá preto ou chá verde (Camellia Sinensis) tem sido utilizado por diversos adeptos de uma alimentação #saudável e funcional. O líquido é uma bebida probiótica, levemente acidificada, rica em ácidos, vitaminas e açúcares simples, que ajuda na manutenção da microbiota intestinal.

Devido aos seus incríveis benefícios, tornou-se popular em diversas culturas nas quais acredita-se ser um remédio natural para vários males, podendo promover a saúde e melhora da força física. Especialmente durante as décadas de 1960 e 1970, tornou-se bastante conhecido devido ao movimento hippie, no qual adeptos da alimentação natural difundiram o uso desta bebida.

Publicidade
Publicidade

Em 2015, o mercado do Kombucha esteve estimado em US$ 600 milhões.

O chá é feito com a adição de tipos específicos de bactérias, fungos e açúcar aos chás preto ou verde, deixando que este fermente por, aproximadamente, uma semana. A partir da fermentação, o líquido torna-se uma mistura doce e azeda, rica em vitaminas do complexo B e antioxidantes.

O que são os probióticos?

Os probióticos são bactérias que produzem efeitos benéficos ao seu hospedeiro. São usadas para prevenção e tratamento de doenças, além de atuarem como imunoestimulantes, ou seja, estimulando o sistema imunológico do indivíduo e prevenindo o desenvolvimento de enfermidades.

Na medicina humana, são amplamente empregados para a regulação da microbiota intestinal, em distúrbios do metabolismo do intestino e estômago e na inibição da de processos carcinogênicos.

Publicidade

Podem, também, combater a candidíase, infecções urinárias e azias.

Sabe-se que pessoas acima do peso ou obesas, possuem uma microbiota intestinal desregulada, diferenciando-se dos indivíduos magros. Assim, o uso destes alimentos pode ser benéfico na manutenção do peso corporal, auxiliando em dietas que visem a perda de gordura, além de melhorar o estado geral de saúde.

Alguns exemplos de culturas de bactérias probióticas são Lactobacillus acidophillus, L. casei e L. bifidum, quando não estão naturalmente presentes nos alimentos, podem ser adicionados, e então, estes passam a se denominar como um alimento próbiotico. Alguns exemplos são: Kefir, iogurtes acrescidos com estes microorganismos, leites fermentados e alguns produtos orientais à base de soja, legumes e verduras.

Como adquirir o Kombucha:

Já existem diversas opções industrializadas no mercado de alimentos, por isto, deve-se ficar atento à quantidade exagerada de açúcar no produto. O ingrediente que vem primeiro na lista encontrada no rótulo é aquele que se encontra em maior quantidade.

Há também a opção de fazer o chá em casa, porém, deve-se tomar cuidado para que este não seja contaminado por microrganismos indesejáveis durante o processo de fermentação. Há diversas receitas disponíveis na internet para a confecção da bebida caseira. #probioticos #Nutrição